PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Inglês ex-campeão de boxe convida Trump para disputa de cinturão contra americano

Ag. Fight

27/10/2018 08h00

O confronto de boxe entre o campeão mundial Deontay Wilder e o pugilista britânico Tyson Fury promete relembrar os tempos áureos dos pesos-pesados. E um convidado especial como o presidente dos Estados Unidos poderia acrescentar ainda mais prestígio ao evento. Ao menos é o que sugere o ex-campeão inglês, que convidou Donald Trump para assistir ao confronto agendado para o dia 1º de dezembro, em Los Angeles (EUA).

Em entrevista ao site 'TMZ Sports', Fury foi questionado sobre quem convidaria para o combate no 'Staples Center', em Los Angeles (EUA), que valerá o cinturão do Conselho Mundial de Boxe (WBC), hoje nas mãos do pugilista americano. E surpreendeu não só ao responder que chamaria o político, como também ao colocar o confronto acima de alguns históricos duelos do passado, como as lutas de Mike Tyson contra Evander Holyfield, em 1996, ou diante de Lennox Lewis, em 2002.

"Presidente Trump, eu o convido para assistir ao maior duelo de pesos-pesados dos últimos 30 anos", afirmou Fury. E, ao ser indagado sobre a personalidade questionável do político, Tyson minimizou o assunto: "Ele é , mas eu sou um lutador bastante controverso".

Aos 30 anos, Fury é ex-campeão da Associação Mundial de Boxe (WBA), Organização Mundial de Boxe (WBO) Organização Internacional de Boxe (IBO) e Federação Internacional de Boxe (IBF). O britânico retomou sua carreira nesta temporada, após ficar afastado por quase três anos para se tratar da dependência química.

Esporte