PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Santiago revele promessa não cumprida do UFC e desabafa: "Merecer não é o suficiente"

Gaspar Bruno, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

25/10/2018 08h00

Questões como lesões e derrotas parecem ter uma ciência lógica para se resolver: tratamento e treinamento, respectivamente. No entanto, um problema que assola inúmeros atletas no UFC parece não ter solução aparente: a falta de prestígio dentro da organização. Esse é o caso de Santiago Ponzinibbio, que em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight desabafou sobre os percalços em busca de reconhecimento e revelou uma promessa que não fui cumprida pelo Ultimate.

Principal atleta argentino em atividade no MMA e dono de uma sequência de seis vitórias na maior liga de artes marciais do mundo, 'Gente Boa', como é conhecido, figura apenas na décima posição no ranking dos pesos-meio-médios (77 kg) do UFC. Essa aparente contradição, de acordo com Santiago, é fruto de promessas não cumpridas por parte do Ultimate quanto ao calibre de seus futuros adversários.

"Sim . Mas no UFC não tem matemática, quando você está ranqueado entre os melhores, as coisas mudam um pouco. Nas especulações, na hora de aceitar as lutas, é difícil. Depois que eu ganhei do Gunnar Nelson - que era o oitavo do mundo - em 82 segundos, com um nocaute muito bonito, eles falaram que iam me dar um top 5. Acabou que me deram o Mike Perry, eu lutei com ele e ganhei também. E depois falaram que iam me dar um top 5 novamente, mas vou lutar contra o número 8 . Então a gente não tem como saber o que vai acontecer, entende?", analisou Santiago, em tom desanimado.

Santiago enfrenta Neil Magny - atual número oito no ranking -  no dia 17 de novembro pela luta principal do primeiro evento do UFC a ser realizado na Argentina. E aparentemente, o país de origem de Ponzinibbio também foi uma pedra no sapato do atleta para conseguir um oponente à sua altura. De acordo 'Gente Boa', o americano foi o único dentre os dez melhores do ranking de sua categoria que aceitou enfrentá-lo na cidade de Buenos Aires

Para ilustrar essa situação incômoda na busca por um rival, o argentino citou o exemplo de Rafael dos Anjos, com quem ele se desentendeu através das redes sociais. Santiago declarou que o UFC ofereceu o combate ao brasileiro, que teria recusado por duas vezes, ao admitir que preferiria atuar perto da cidade onde mora nos Estados Unidos. Ainda de acordo com o lutador da 'American Top Team', 'RDA' teve medo de aceitar o duelo.

"Me falaram que ninguém do top 5 aceitou lutar na Argentina, que o único atleta que aceitou lutar na Argentina foi o Neil Magny. Não acho, tenho certeza absoluta . Uma luta contra o Dos Anjos na Argentina faria todo o sentido, eles ofereceram, mas o Dos Anjos não aceitou. Tentaram uma nova oferta, outro negócio para ele, e ele não aceitou, não queria lutar na Argentina. Então não acho , tenho certeza. O UFC me falou que o único atleta do top 10 que aceitou lutar na Argentina foi o Neil Magny, foi o único atleta", revelou em conversa exclusiva com a Ag Fight.

Apesar dos imbróglios que envolveram a negociação para a luta principal do card em Buenos Aires, Santiago admitiu que está satisfeito com seu próximo oponente. Na opinião do argentino, Magny possui as credenciais necessárias para que - caso o vença - ele possa sonhar alto em seguida, rumo ao cinturão da divisão até 77kg da maior liga de MMA do mundo.

"Estou contente com a luta, acho o Neil Magny um excelente oponente, é completo, versátil, vem de duas vitórias, vai ser uma boa luta. Mas isso não faz sentido, estou ranqueado em décimo, como assim? Já nocauteei muita gente, venho de seis vitórias seguidas contra atletas bons, deveria estar melhor ranqueado, mas realmente esse não é meu foco agora, não me preocupo com isso", admitiu Gente Boa, antes de revelar seus planos para o futuro.

"Sim, o campeão da categoria . Sei que tenho potencial e o que é necessário para lutar pelo título. Até porque o ranking não faz sentido, seis vitórias consecutivas com três nocautes contra bons nomes, então eu estou preparado para ser campeão. Se vier a oportunidade, eu tenho tudo para ser campeão mundial. Ganhando do Magny, que é um cara com muitas lutas na divisão, já ganhou de ex-campeões, ganhando claramente, ganhando bem dele, por que não poderia ter uma chance pelo título? Sei que merecer não é o suficiente, talvez eles não me deem ", desabafou o argentino.

Ao longo da entrevista - realizada em português, apesar do leve sotaque do atleta - o argentino que faz jus ao apelido 'Gente Boa' exaltou seu carinho pelo país canarinho. Mesmo pouco reconhecido, Santiago, independentemente do resultado de sua próxima luta, fará história no Ultimate, ao liderar o primeiro card da organização na Argentina. Ao longo de sua carreira como profissional de MMA, Ponzinibbio - que foi revelado pelo 'TUF Brasil 2' e não perde desde 2015 -  somou 26 vitórias e apenas três derrotas.

Esporte