PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Jacaré revela insatisfação por resultados apertados e projeta aposentadoria

Streeter Lecka/Getty Images/AFP
Imagem: Streeter Lecka/Getty Images/AFP

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

24/10/2018 09h36

Ronaldo 'Jacaré', um dos maiores representantes nacionais do Brasil no MMA, recentemente recebeu a notícia de que seria promovido ao co-main event do UFC 230, no dia 3 de novembro, em Nova York (EUA). Para isso, o peso-médio (84 kg) substituirá o lesionado Luke Rockhold para enfrentar o ex-campeão do Ultimate Chris Weidman. E em conversa exclusiva com a Ag Fight, o lutador revelou sua insatisfação com os resultados de alguns de seus combates e projetou seu futuro no esporte.

Dono de um cartel de respeito, o ex-campeão do Strikeforce e multicampeão de jiu-jitsu só perdeu seis lutas em sua carreira. E três delas (contra Luke Rockhold, Yoel Romero e Kelvin Gastelum) foram combates parelhos que se traduziram em decisões apertadas dos juízes. Jacaré questionou esse histórico negativo e garantiu que para sair vencedor, não pode deixar o destino nas mãos dos árbitros.

"Toda a vez que a luta é apertada, vai para a decisão, nunca venci uma luta nesse estilo, acho até estranho. Então com isso aí, tenho que colocar meu jogo em prática para vencer de verdade, não posso deixar na mão dos juízes, porque os juízes não vão me dar a vitória", desabafou o peso-médio.

"Vê as lutas aí, qual que eu perdi de verdade? Só a do Gastelum que poderiam ter dado a luta para ele, porque a minha linguagem corporal estava muito feia, estava muito caído. Mas eu achei que acertei o maior número de golpes no terceiro round, então fazer o quê? É fato ", completou Ronaldo.

O veterano de 38 anos admitiu já pensar na aposentadoria mas, no entanto, garantiu que pretende cumprir seu contrato com o UFC - que de acordo com o próprio não tem "poucas lutas". De acordo com o brasileiro, com o tempo o corpo não responde mais da mesma maneira, e isso faz com que ele não possa cometer erros durante suas performances dentro do octógono.

"Estou tendo um acompanhamento mais rigoroso agora, inclusive com a perda de peso. É lógico e evidente que a minha idade já chegou, estou com a idade um pouco avançada, e se eu fizer alguma coisa errada meu corpo não recupera mais como recuperava antigamente. Então estou mais esperto, na perda de peso, estou ficando um pouquinho mais leve, entendeu? São essas coisas que estou mudando", garantiu.

"Então, estou com uma certa idade, e se estou lutando é porque tenho certeza que estou em condições de continuar lutando em alto nível, mas a minha aposentadoria está próxima. Algumas lutas aí e já vou me aposentar. Tenho umas lutas ainda, não são poucas não. Vou, pretendo ", revelou Jacaré com exclusividade à Ag Fight.

Recentemente Weidman revelou ter estabelecido um acordo verbal com o Ultimate, para, em caso de vitória sobre Jacaré, disputar o cinturão em seguida. O brasileiro por sua vez afirmou que a organização não lhe garantiu nada. Mas de acordo com Ronaldo, não faria sentido o UFC estabelecer dois pesos e duas medidas.

"Eu não tenho nada, só tenho que ir lá e vencer. Não sei. Eu sei que vou para as cabeças e lá é bom que eles me deem essa oportunidade. Mas se vale para ele, por que não valeria para mim? Não faz sentido. É ex-campeão contra ex-campeão", opinou o ex-campeão do Strikeforce.

Portanto, podemos dizer que o resultado dessa luta será primordial para Jacaré. Uma vitória o aproxima - e talvez pela última vez - do cinturão, e uma derrota pode fazer com que o brasileiro amadureça a ideia pendurar as luvas.

MMA