PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Comentarista do UFC revela como roda de maconha pode ter ajudado Jon Jones

Ag. Fight

23/10/2018 16h19

Jon Jones é sem dúvida um dos maiores nomes do MMA de todos os tempos. No entanto, no início de sua carreira, ele não tinha noção do potencial que carregava. E quem garante isso é o comentarista oficial do UFC Joe Rogan. Durante a edição do último domingo (21) de seu podcast 'The Joe Rogan Experience', o dono do programa relembrou ao lado de um amigo, Ari Shaffir, uma história pouco convencional que envolvia 'Bones', e pode ter ajudado a alavancar a história do americano no esporte.

Na ocasião, em 2008, Shaffir conversava sobre maconha com Jones - que era desconhecido da grande mídia e tinha apenas 21 anos. Partiu do atleta então a vontade de usar a substância ilícita, porém nenhum dos dois estava sob posse da droga. Ari então lembrou de Joe, que estava hospedado no mesmo hotel e tinha cannabis. E desse encontro inusitado surgiu a dica do comentarista esportivo do Ultimate que pode ter mudado o destino do americano no MMA.

"Nós tivemos uma conversa com ele sobre eu querendo que ele fosse treinar em uma academia diferente. Eu estava tipo: 'Você é muito bom. Deveria estar em um camp de verdade'. Ele respondeu: 'Você realmente acha isso? '. Completei: 'Tenho certeza disso'", revelou Rogan.

"Falei para ele: 'Você possui uma vida útil limitada neste esporte. Seu tempo deveria ser investido com um técnico de verdade que vai aprimorar suas habilidades. Você pode se tornar o maior de todos os tempos'. Lembro de ter dito isso para ele. Ele ficava tipo: 'Você realmente acredita nisso? '. E eu respondia: 'Tenho certeza, você tem que mudar '", completou.

Joe não cravou que essa dica foi fundamental para Jones se tornar o que é hoje - o comentarista inclusive lembrou que o americano já era acima da média na época. No entanto, Rogan afirmou que a ida de 'Bones' para a 'Jackson-Wink MMA' - uma das mais importantes academias de artes marciais mistas do mundo -  foi de extrema importância do ponto de vista do desenvolvimento das habilidades do atleta e também pelo fato de Jon estar cercado por lutadores de alta performance.

"Espero que tenha ajudado . Quer dizer, ele poderia ter feito isso de qualquer forma. Quem sabe? Mas acho que foi uma boa conversa para ter com um jovem. Tipo: 'Ouça cara, você tem um talento real. Você pode se tornar importante, mas precisa ser treinado por profissionais que descobrirão seu estilo'", relembrou o comentarista do Ultimate.

"Ele era tão bom, quem sabe o quão longe ele iria - ele poderia ter se tornado campeão mundial até mesmo na academia em que treinava na época. Ele era incrível, com um wrestling poderoso, fisicamente dotado. Mas ir para a Jackson-Wink MMA, e poder treinar regularmente com os melhores lutadores do mundo com certeza fez uma grande diferença", opinou Joe.

Com influência ou não de Joe Rogan, Jones é um ex-campeão da principal liga de MMA e um dos maiores atletas do esporte atualmente. Após mais de um ano afastado, o americano volta aos octógonos dia 29 de dezembro, em Las Vegas (EUA), pelo UFC 232 contra Alexander Gustafsson. Caso vença, o Bones reconquistará o cinturão dos meio-pesados (93 kg) do Ultimate.

Esporte