PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Agora nos meios-médios, Chiesa revela: "Lutava com metade do meu potencial"

Ag. Fight

23/10/2018 07h00

Dificuldades em vencer a balança têm se tornado algo cada vez mais recorrente entre atletas de MMA - inclusive para lutadores de alto rendimento, como Yoel Romero e Darren Till. Outro que travava uma verdadeira batalha para cortar peso era Michael Chiesa. E o americano decidiu pôr fim à esta guerra após complicações mais sérias em seu último corte. Portanto, o peso-leve (70 kg) de origem decidiu migrar para os meio-médios (77 kg).

Após sua decisão, o lutador comprovou que a medida foi necessária, conforme relatou em sua participação no 'The MMA Hour'. Durante o programa, Chiesa revelou que suas atuações no peso-leve refletiam apenas 50% do seu verdadeiro potencial. Além disso, o americano aproveitou para definir seu objetivo na nova categoria para a temporada 2019.

"Cheguei a figurar como sétimo colocado no peso-leve e realmente acredito que só estava lutando com metade do meu potencial. Sinto que subindo para os meio-médios, serei capaz de demonstrar todas minhas habilidades. Não serei um meio-médio pequeno, sou maior que provavelmente 80% dos caras que lutam originalmente nos 77 kg", opinou Michael.

"Então, meu objetivo para 2019: vencer lutas, entrar para o top 10. Talvez me aproximar do top 5 no fim de 2019. Mas meu objetivo a longo prazo continua o mesmo. As pessoas podem dizer que sou maluco, muitos dizem que não sou capaz de conseguir, mas eu não dou a mínima para o que dizem. Sei que sou destinado a me tornar um campeão mundial, e talvez seja na divisão mais prestigiada do UFC - meios-médios. Então esse é meu objetivo a longo prazo, mas por ora em 2019, quero terminar no top 10 dos meio-médios", projetou o atleta.

Outro motivo, além das dificuldades para cortar o peso durante os camps, levou Chiesa a subir de divisão: a paixão pelo esporte. Profissional de MMA há mais de dez anos, o atleta admtiu que não sentia mais o mesmo prazer ao exercer sua profissão.

"A grande questão para mim é que faço isso há mais de dez anos, e amo isso. É uma benção ser capaz de acordar e competir, e treinar e fazer da luta o meu trabalho. Mas isso começou a perder o brilho, quando tudo que faço é me matar . Isso costumava ser divertido para mim, e agora está voltando a ser. Não tenho que me estressa com certo peso. Não preciso focar em cortar peso o tempo todo, agora posso me focar em me tornar um lutador melhor", desabafou o americano.

E a estreia do Chiesa na categoria até 77 kg já está marcada e será ainda neste ano. Logo de cara, o americano enfrentará um ex-campeão da divisão do Ultimate. Michael encara Carlos Condit no UFC 232, no dia 29 de dezembro, em Las Vegas (EUA).

Esporte