PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Jon Jones se defende de acusações de doping: 'Óbvio que foi um acidente'

O lutador norte-americano Jon Jones - Sean M. Haffey/Getty Images
O lutador norte-americano Jon Jones Imagem: Sean M. Haffey/Getty Images

Ag. Fight

22/10/2018 16h57

No próximo domingo (28), Jon Jones estará livre para lutar MMA profissionalmente. E, já com compromisso firmado, o ex-campeão dos meio-pesados (93 kg) usou os microfones de um programa no YouTube vinculado à sua academia, a Jackson-Wink MMA, para se defender das acusações de que faria uso proposital de doping.

O norte-americano afirmou que, nas duas vezes em que foram flagradas em seu corpo substâncias que melhoram o desempenho, ficou comprovado que ele não teve intenção de se dopar.

Em entrevista ao programa 'JW Raw', Jones declarou que as pessoas que ainda o consideram um trapaceiro o fazem por perseguição pessoal, uma vez que até mesmo a USADA (agência antidoping americana) teria considerado a quantidade de turinabol - esteroide encontrado nos exames divulgados após a vitória contra Daniel Cormier, em julho do ano passado - muito pequena, a ponto de não fazer diferença no desempenho do lutador.

"Na primeira situação, foi provado - bem, em ambas as situações, seja qual for. O que fosse que estava em mim quimicamente foi provado cientificamente que as quantidades eram tão pequenas que não havia maneira possível de afetar meu desempenho de um jeito positivo ou negativo. As duas vezes em que falhei em testes antidoping para substâncias que melhoram a performance, foi algo tão pequeno que não afetaria de fato a performance. Na situação da pílula para o p**, provou-se que foi um erro. Quem toma um remédio para disfunção erétil esperando lutar melhor? Ninguém. Nós de fato encontramos a empresa, os comprimidos exatos. Compramos os comprimidos e eles chegaram com coisas que não deveriam estar lá. Uma quantidade pequena, que não faria você lutar melhor ou fazê-lo mais forte", disse.

"E, na segunda situação, acabamos de descobrir que a USADA disse: 'A quantidade de esteroides que encontramos no seu corpo, Jon, foi como jogar uma pitada de sal em uma piscina olímpica'. Foi uma quantidade tão pequena que ficou óbvio que era um acidente. E para isso ser um algo que você colocou no corpo duas semanas antes da luta... Então, duas semanas antes da luta, você pegou uma pitada de esteroides e jogou em uma piscina olímpica. É muito claro que não foi nada que tenha o ajudado a nocautear Daniel Cormier. Então, para quem está dizendo 'ele devia estar trapaceando', é como, ok, depois de tudo o que eu disse, se você anda quer me chamar de trapaceiro, é porque você simplesmente não quer admitir que eu sou muito bom no que eu faço", completou

Jones tem luta marcada contra Alexander Gustafsson no UFC 232, que será realizado em 29 de dezembro, em Las Vegas (EUA). Os dois vão disputar o cinturão vago dos meio-pesados, uma vez que o Ultimate vai retirar o título de Cormier, que, por sua vez, defende a cinta dos pesados em 3 de novembro, em Nova York (EUA). Até o momento, no entanto, a organização ainda considera 'DC' como campeão da categoria até 93 kg.

MMA