PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Lutadora do UFC agredida pelo marido lamenta repercussão do caso na mídia

Andrea Lee foi vítima de violência doméstica pelo marido, Donny - Reprodução
Andrea Lee foi vítima de violência doméstica pelo marido, Donny Imagem: Reprodução

Ag. Fight

19/10/2018 18h56

Mesmo após ser vítima de violência domiciliar, a lutadora do UFC Andrea Lee admitiu que preferiria resolver a situação sem que o assunto chegasse a conhecimento público. Em participação no podcast 'Slip 'n Dip', a peso-mosca (57 kg) do Ultimate lamentou a repercussão do caso que envolveu seu marido, Donny Aaron, na imprensa.

Na ocasião, Andy Nguyen, amiga de Lee e também atleta de MMA, denunciou o marido da lutadora após presenciar cenas de violência contra a peso-mosca do Ultimate. De acordo com Nguyen, Aaron tentou queimar Andrea com um cigarro e ainda estrangulou 'KGB'. Embora naquele momento Andy tenha usado a internet para ajudá-la, a lutadora do UFC afirmou que gostaria de não ter sua história divulgada na imprensa.

"Sempre que há algo para falar, as pessoas adoram colocar outras pessoas para baixo. Dizer que não sou digna de um contrato com o UFC por causa de coisas específicas. É uma loucura. Mas eu passei por isso e comecei a lidar com outros assuntos mais sérios. Isso, para mim, tudo o que está acontecendo entre mim e meu marido, Donny, eu não queria que saísse para as notícias como aconteceu", lamentou.

"Todo mundo que me conhece na comunidade de MMA e que assiste ao UFC lê as atualizações e outras coisas, lê todos os artigos. É constrangedor. Eu preferiria manter todos os meus negócios pessoais e privados. É a minha vida, e a maneira como saiu na mídia foi uma droga", desabafou.

Andrea e Aaron têm uma filha juntos, e ela é um dos principais motivos que fizeram a lutadora se chatear pela forma com que a imprensa noticiou o crime. De acordo com Lee, apesar de tudo que aconteceu, ela terá que manter uma relação cordial com Donny, pois a criança será um vínculo indissolúvel entre os dois.

"Disse algumas coisas que eu preferia que não fossem ditas, porque é difícil para mim, por causa da minha filhinha. Donny e eu temos uma filha juntos. Independentemente de tudo o que aconteceu, ele ainda é o pai dela. Ele, eu e a família dele ainda teremos que lidar um com o outro. Nós vamos ter de manter uma boa relação pelo bem. Espero que possamos ser amigos. Sou uma pessoa que perdoa", afirmou.

De acordo com o site 'MMA Junkie', que contatou o Departamento de Polícia da cidade de Shreveport (EUA), Aaron continua foragido após ser acusado de violência doméstica, agressão e cárcere privado.

MMA