PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Gosto especial! TJ Dillashaw narra felicidade por ter "arruinado" carreira de rival

Ag. Fight

19/10/2018 13h21

TJ Dillashaw saiu vitorioso das duas lutas que fez contra Cody Garbrandt, em confronto que se tornou uma das maiores rivalidades do MMA atual. Por isso, o campeão dos pesos-galos (61 kg) declarou, em entrevista ao site 'MMA Junkie', que seu prazer nos dois triunfos não se resumiu a garantir o cinturão, mas também "arruinar" a carreira de 'No Love'.

O lutador mostrou satisfação por ter deixado Garbrandt em situação ruim na categoria, uma vez que, tendo perdido dois combates para o rival, tem poucas chances de obter outro 'title shot' tão cedo. Segundo TJ, o fato de Cody ter conseguido uma revanche imediata atrapalhou ainda mais seu adversário.

"Claro que sim, estou bem com a maneira com que as coisas se desenrolaram. Foi exatamente como eu disse que aconteceria. Eu disse que iria nocauteá-lo no primeiro round. Fiz isso. Disse que eu iria arruinar a carreira dele. Estou fazendo isso. O cara está f***** no peso-galo. Ele deveria ter voltado para a sua prancheta e melhorar, mas falou e falou até conseguir outra surra", afirmou.

Dillashaw intensificou sua rivalidade com Garbrandt depois de sair do Team Alpha Male e de ser tachado como traidor por seus ex-colegas. Segundo TJ, os dois triunfos por nocaute significam não só derrotas para Cody, como também para toda a academia.

"Estou feliz. Não só ele, mas o time inteiro. O time inteiro merecia uma p**** de uma surra. Eles falaram todas aquelas m*****, queriam me acusar de um monte de besteiras. Este é o jogo. Karma é uma merda", atacou.

O campeão peso-galo (61 kg) ainda avaliou sua situação em relação ao desejo de descer de categoria e desafiar o detentor do cinturão peso-mosca )57 kg), Henry Cejudo. TJ reiterou que sua intenção é se adaptar à divisão de baixo, a fim de restringir as eventuais justificativas do adversário.

"Eu garanto a você que Cejudo está tão grande quanto eu neste momento. Não quero a desculpa de, quando eu surrá-lo, ele ficar tipo: 'Oh, é porque ele é maior do que eu'. F***-se isso. Vou para 57 kg. Não há desculpas", encerrou.

Dillashaw tem apenas três derrotas em seus oito anos de carreira: uma para John Dodson, em 2011, outra para Raphael Assunção, em 2013, e a última diante de Dominick Cruz, em 2016, quando perdeu o cinturão. De lá para cá, emendou quatro vitórias consecutivas.

Esporte