PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após finalização em São Paulo, 'Serginho' Moraes ironiza falta de reconhecimento no UFC

Gaspar Bruno, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

25/09/2018 09h00

Desde outubro de 2012 foram dez lutas dentro do UFC e apenas uma derrota - para Kamaru Usman, uma das estrelas da divisão dos meio-médios (77 kg). No entanto, o retrospecto consideravelmente favorável a 'Serginho' Moraes não tem sido suficiente para que o atleta conquiste um lugar de destaque na organização. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, o brasileiro revelou não saber o que falta para que o Ultimate lhe alce ao posto de atleta ranqueado em sua categoria.

São seis anos na maior organização de MMA do mundo, oito vitórias, um empate e apenas dois reveses. Mesmo assim, Serginho nunca figurou entre os 15 melhores atletas de sua divisão. Questionado sobre o que faltava para que alcançasse outro patamar, o brasileiro não soube responder, e garantiu que não irá fazer uso de provocações - prática comum no mundo da luta - para se promover.

"Não sei, para mim era só lutar e vencer, né? Não sei o que falta ", ironizou o meio-médio.

"Se eu tentar fazer isso , vou ser alguém que eu não quero ser. Não quero ser um atleta assim, quero ser exatamente aquilo que eu sou, e é assim que eu vou me vender. Acredito que agora sim, acredito que com essa vitória no UFC agora venha ", projetou o brasileiro, com otimismo, em conversa com a Ag Fight.

Apesar de ser tricampeão mundial de jiu-jitsu, Moraes não vencia por finalização há cinco anos no MMA. O jejum terminou no último fim de semana, no UFC São Paulo, quando obrigou Bem Saunders a dar os 'três tapinhas'. Após o duelo, uma cena inusitada, mas aparentemente não para o paulista. Seu rival o abordou para entender como Serginho o anulou no chão, e a resenha pós-luta pode gerar uma parceria no futuro.

"Foi tipo assim, ele colocou muita pressão, eu expliquei para ele. Mas ele também é muito flexível, se eu deixasse espaço, ele poderia atacar o meu braço. Achei que ele ia tentar soltar meu braço ali, mas ele falou: 'Como? '. Aí eu expliquei para ele como eu gosto de fazer guarda naquela posição ali. Foi mais uma troca de informações mesmo, mostrei como coloca pressão, para ficar justo, foi isso", explicou Serginho como foi o momento após a luta.

"Já tinha acontecido sim . A gente procura sempre depois das lutas não ficar com mágoa no coração, como eu não bati, não ficou mágoa. Foi agora , ele falou que tem interesse de vir para cá treinar, vamos ver no que vai dar", revelou o atleta.

Com o decorrer dos anos, Serginho se tornou um lutador mais completo, com uma evolução significativa, principalmente em pé. O brasileiro chegou até mesmo a opinar que a trocação tinha se tornado seu carro-chefe. Mas a finalização do último sábado (22), sobre um adversário que nunca havia sido vencido dessa forma em sua carreira, demonstrou que o jiu-jitsu de Moraes continua afiado.

"Muito bom, né? . Eu vinha buscando evoluções em outras áreas, mas agora que voltei a finalizar está tudo certo. Sim ", admitiu Serginho.

Aos 36 anos, Serginho soma 14 triunfos, três reveses e um empate em sua carreira como profissional de MMA. A idade do brasileiro indica que talvez ele não tenha tantas chances em alto nível de alcançar o patamar desejado. E para não desperdiçar a oportunidade, Moraes garante que aproveitará a boa fase para se manter em forma, e quem sabe, lutar ainda este ano.

Esporte