PUBLICIDADE
Topo

Esporte

'Do Bronx' afasta pressão no UFC São Paulo: “A favela vai me assistir”

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

31/08/2018 12h25

Aos 28 anos, Charles 'Do Bronx' já acumula 20 lutas no octógono do UFC. No entanto, nem mesmo o status de veterano na organização lhe garantiu prioridade nas negociações com o evento, tanto que ele acabou escalado para o card programado para a cidade de São Paulo de última hora. Duelo este que, por sinal, marca sua estreia no octógono em seu estado natal.

Atleta do UFC desde agosto de 2010, Charles marcou sua carreira no evento com rápidas e justas finalizações, feito que, caso se repita diante de Christos Giagos, no dia 22 de setembro, o colocará como recordista absoluto no quesito na história da organização - recorde em poder de Royce Gracie. Nada mal para o atleta do Guarujá que por pouco não ficou de fora do evento.

"Se eu falar que não penso em passar o Royce, uma lenda vida... Lógico que penso. Mas quero ir lá e vencer bem. Nunca lutei o UFC aqui em São Paulo, perto da família e fãs. Pressão do meu lado não vai ter nenhuma, mas para o meu adversário vai ser muito grand. A favela inteira vai descer para me assistir",previu, durante conversa com a reportagem da Ag. Fight.

Desde sua última luta, quando finalizou Clay Guida no dia 9 de junho, Charles pede publicamente por uma vaga no card em São Paulo, o que só foi atendido após as diversas lesões que retiraram três brasileiros do evento  - Glover Teixeira, Ketlen Vieira e Antônio 'Cara de Sapato'. Desta forma, mais uma vez, o atleta fará uma apresentação sem um camp completo para sua luta.

"Não sei porque a demora . Na verdade, é ruim aceitar luta em cima da hora. Quero luta com dois ou três meses , mas foi como falei, não parei de treinar, então estou  100%. Mas sou empregado da Zuffa. Onde botarem para lutar, eu luto. Do mesmo jeito que eu queria lutar aqui, muita gente queria. Tenho que acatar", narrou, antes de prometer que, em caso de vitória, retomará a campanha para retornar aos pesos-penas (66 kg).

"Vou lutar no peso-leve de novo. Se Deus quiser, vou vencer e vou pedir para descer para os penas de novo, que é onde quero ser campeão", finalizou.

Esporte