PUBLICIDADE
Topo

Esporte

'Borrachinha' vê Rockhold 'sem foco' e minimiza combate contra wrestlers: "É muito fácil"

Gaspar Bruno, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

29/08/2018 06h00

De falta de confiança ninguém pode acusar Paulo 'Borrachinha'. O brasileiro, que tem quatro nocautes em quatro lutas no UFC, fez uma análise sobre alguns dos lutadores à sua frente no ranking dos médios (84 kg). Durante entrevista coletiva realizada nesta terça-feira (28), no Rio de Janeiro, o lutador afirmou que Luke Rockhold não está "focado" no MMA e que enfrentar wrestlers é "muito fácil", uma vez que a estratégia do rival é previsível.

O mineiro elogiou o talento e as capacidades técnicas de Luke, mas criticou o que considera uma fraqueza psicológica do ex-campeão. De acordo com Borrachinha, o americano já mostrou mais de uma vez que decepciona quando tem muita expectativa ao seu redor.

"O único problema do Rockhold é o mental. Na hora do 'vamo ver', ele não rende. Foi assim com vários: com o Bisping, com o próprio Romero, também... O Romero nocauteou ele, que é uma coisa meio que impensável. Não sei você, mas quando anunciou a luta, eu não previa isso, não. Na hora do 'vamo ver', ele meio que escorrega. Mas se ele focasse ? e acho que não está focado ? seria um grande candidato ao título", falou, em entrevista que teve a participação da reportagem da Ag. Fight. Na mesma ocasião, Paulo declarou que toparia substituir Luke ou Chris Weidman ? que negociam um duelo para o UFC 230, em novembro, se o Ultimate convidá-lo rapidamente.

Questionado sobre uma eventual dificuldade em enfrentar wrestlers, uma vez que sua especialidade é a luta em pé, Borrachinha novamente declarou confiar em suas capacidades. Segundo o peso-médio, encarar lutadores especializados no grappling "é muito fácil"

"Acho que é muito fácil lutar com quem quer derrubar. Você sabe que o cara quer derrubar. É muito fácil. Você sabe que ele vai querer aproximar de você. Você só precisa manter distância e golpeá-lo. Principalmente o Romero, que é menor, o Gastelum. Para mim, é muito tranquilo. Eu vejo com muita facilidade. Contra o Johny Hendricks... Eles vão querer aproximar, então tem que manter distância. Contra um cara que é da trocação, acho que é mais difícil, como foi com o Hall, por exemplo. Ele tem mais artimanhas. E quando ele tenta quedar, aí realmente ele te surpreende, porque você espera que o cara vá lutar em cima. Então, acho que é mais difícil por isso", afirmou.

Em 12 lutas profissionais, Borrachinha não sabe o que é perder. O atleta de 27 anos estreou no UFC em março de 2017 e, menos de um ano e meio depois, foi escalado para enfrentar Romero, que havia acabado de desafiar o campeão do mundo, Robert Whittaker. Uma lesão do cubano, contudo, adiou o embate para 2019.

Esporte