PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Sarah 'A Treta' detalha emoção de vencer no 'Contender Series' e obter contrato com UFC

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

27/08/2018 08h00

A adversária era conhecida e já havia sido derrotada uma vez. Os treinos estavam em dia. Mas ainda faltava fazer valer o trabalho duro dentro do 'Contender Series'. Na última sexta-feira (24), foi ao ar o primeiro episódio da temporada brasileira do reality show que revela lutadores para o UFC. E a peso-mosca (57 kg) Sarah 'A Treta' Frota detalhou à reportagem da Ag. Fight, em Las Vegas (EUA) como foi vencer Maiara Amanajás e conquistar um contrato com a maior organização de MMA do mundo.

As duas já haviam se enfrentado em fevereiro, no SFL, evento indiano. Na ocasião, Sarah venceu por finalização, com um triângulo ainda no primeiro round. Desta vez, 'A Treta' optou por usar a trocação para surpreender. Ela contou que o fato de já ter encarado Amanajás a ajudou a aproveitar as brechas da adversária.

"Eu já sabia um pouco do estilo da luta dela. Eu sabia que ela era canhota, assim como eu, e isso já dá uma ajuda monstro, porque a gente conseguiu fazer um trabalho com sparrings canhotos, para trabalhar em cima dessa coisa específica. Fazer uma base para lutar com uma pessoa dessa e fazer para lutar com uma pessoa destra é bem diferente. Conhecia o jogo, o timing, o peso da mão. Isso tudo me ajudou a fazer, junto com a minha equipe, a melhor estratégia", declarou, em entrevista coletiva com a participação da Ag. Fight.

Assim como da primeira vez, o duelo terminou ainda no round inicial. Mas, desta vez, com um nocaute da goiana a 3min36s. Sarah afirmou que estava muito confiante para adquirir o contrato com o Ultimate, que não vem automaticamente com a vitória, mas apenas se o lutador convencer Dana White, presidente da empresa.

"Eu nunca tive dúvida de que se eu chegasse aqui e conseguisse desenvolver o trabalho que eu estava fazendo, eu iria conseguir o contrato, porque eu gosto de luta boa. Eu não sou de ficar correndo da luta, gosto de cair para dentro e de dar emoção para a galera. Então eu sabia que, se a luta fosse emocionante, independente do resultado, a chance de a gente conseguir o contrato era grande", falou.

"E depois a gente pensa: serviço cumprido, ganhei. Mas e agora, será que eu ganhei e eu representei o bastante para conseguir o contrato? Porque uma coisa é você ganhar, outra é ganhar e representar. Mas deu certo", completou.

Frota, que tem nove vitórias em nove combates profissionais, disse estar pronta para estrear no UFC "o mais rápido possível". Apenas duas de suas lutas foram para a decisão dos juízes.

Confira a entrevista completa:

Esporte