PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

'Marreta' revela dica que fez Manuwa "morder a isca" e topar luta no UFC SP

Thiago Marreta vence Kevin Holland no UFC 227 - Joe Scarnici/Getty Images
Thiago Marreta vence Kevin Holland no UFC 227 Imagem: Joe Scarnici/Getty Images

Gaspar Bruno, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

27/08/2018 07h00

Thiago 'Marreta' aceitou subir de categoria e enfrentar Jimi Manuwa na luta principal do UFC São Paulo, em 22 de setembro, mas por pouco o combate não foi fechado. Isso porque, segundo o brasileiro, 'Posterboy' não quis topar o duelo quando soube quem seria seu novo adversário. Mas uma provocação no Twitter ajudou o inglês a "morder a isca", como contou o carioca com exclusividade à reportagem da Ag. Fight.

De acordo com Thiago, que vai fazer a sua 16ª luta no Ultimate, uma dica de seu empresário, Alex Davis, foi de absoluta importância para fazer o britânico assinar o contrato. Apesar de não se promover muito por meio das redes sociais, Marreta fez uma postagem que, coincidência ou não, mudou o cenário da negociação.

"A gente se ofereceu para lutar, e o UFC gostou da luta. Dana White, Mick, todos gostaram da luta, mas o Manuwa não aceitou de início. Aí o UFC pressionou ele e meu empresário também, que pediu pra eu colocar alguma coisa no Twitter provocando ele. (risos) Eu não sou muito de falar, mas meu empresário falou para eu fazer isso e acabou dando certo. Ele mordeu a isca e aceitou a luta", revelou.

Embora já cogitasse subir de categoria há algum tempo, Marreta afirmou que não tem certeza se vai continuar entre os meio-pesados (93 kg), divisão na qual estreará no Ultimate. Segundo ele, mesmo se perder, há a possibilidade de continuar no peso.

"A gente vai ver depois da luta o que eu vou fazer. Eu preciso sentir, ver como vou me sentir lutando em uma categoria diferente, com um cara mais pesado. Independente de vitória ou derrota, o que vai definir se eu vou ficar nos meio-pesados ou voltar para os médios", falou.

Marreta fará, em setembro, nono mês do ano, o seu quarto combate em 2018. Para o brasileiro, a experiência o ajuda a maneirar nos treinamentos de modo a não chegar excessivamente desgastado nos confrontos.

"Eu me mantenho sempre treinado e treinando com consciência, também. Já estou bem maduro. Não é a primeira vez que eu aceito uma luta perto de outra. A gente está dosando o treinamento e treinando com consciência também. Fazendo o que tem que fazer, mas com consciência. Está tudo bem, estou sem lesão. Vou chegar pronto para esta luta", declarou.

Manuwa, adversário do brasileiro, vem de duas derrotas consecutivas, para Volkan Oezdemir, em julho do ano passado, e Jan Blachowicz, em março deste ano. Em sua carreira, o americano de nascimento tem 17 vitórias e quatro derrotas, todas no UFC.

MMA