PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Brasileira afasta possibilidade de demissão em caso de 3ª derrota seguida no UFC

Fábio Oberlaender, do Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

23/08/2018 08h00

Kalindra Faria perdeu as duas lutas que já realizou no UFC, mas a experiente lutadora não demonstra sentir a pressão de uma possível demissão em caso de nova derrota no octógono. Aos 32 anos, a brasileira enfrentará Joanne Calderwood no próximo sábado (25), em Nebraska (EUA), e afirmou em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight que descar a possibilidade do duelo ser um 'divisor de águas' em sua carreira profissional.

As derrotas para Mara Borella, na sua estreia em outubro de 2017, ou para Jessica Eye em janeiro último, poderiam deixar Kalindra em uma situação delicada no Ultimate. No entanto, a lutadora declarou que não só duvida da possibilidade de ser demitida em caso de mais um revés como também descarta que isso possa ocorrer com a sua oponente. Calderwood está no UFC desde dezembro de 2014, mas teve o mesmo retrospecto negativo que a brasileira em seus últimos duelos.

"Tenho que deixar a pressão de lado, focar na luta, que é simplesmente mais uma. Já passei por muitas coisas na minha carreira, então tenho que ir lá, fazer um bom trabalho e entrar forte pensando na vitória. Não acho que a próxima luta possa ser um divisor de águas, no sentido de que quem perdesse seria mandada embora. Ainda tenho quatro lutas no contrato, não sei quantas lutas minha adversária tem no contrato, mas sei que ela já teve um bom número de lutas no UFC. Não creio que se ela perdesse também seria mandada embora... Mas eu não vou pensar nisso. Meu objetivo, como de todos atletas, é ganhar. Depois a gente vê as consequências", relatou.

A peso-mosca (57 kg) brasileira comentou ainda que o estilo de luta de sua próxima adversária se diferencia de Jessica Eye, para quem perdeu o último combate, devido à preferência pela troca de golpes em pé. Kalindra, entretanto, terá que tomar cuidado, já que Calderwood foi campeã europeia e mundial de muay-thai.

"A luta em pé é mais interessante para mim até porque é mais empolgante, mas se for preciso a gente muda de nível lá na hora. Eu gosto de fazer o jogo de trocação e nesse meio tentar uma queda. Não gosto de começar a luta procurando a queda porque não é o meu forte, mas se eu vir uma possibilidade de queda em uma brecha dela, vou efetuar, mas pela Calderwood ser mais da trocação acho que é uma luta mais favorável para mim sim", completou.

Com 18 vitórias e sete derrotas como lutadora profissional de MMA, Kalindra Faria fará o terceiro combate da noite na Pinnacle Bank Arena, na cidade de Lincoln. Já a sua adversária escocesa Joanne Calderwood, de 31 anos, possui 11 triunfos e três derrotas em seu cartel.

Esporte