PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Borrachinha vê Romero "mais fácil que Weidman" e espera nocaute

Rigel Salazar/ Ag Fight
Imagem: Rigel Salazar/ Ag Fight

Ag. Fight

27/07/2018 09h00

Número 8 no ranking dos médios (84 kg) do UFC, Paulo 'Borrachinha' deu um salto: de Uriah Hall, seu último oponente, vencido no UFC 226, para Yoel Romero, mais recente desafiante ao título e adversário no UFC 230, em novembro. Ainda na Flórida (EUA), onde tem treinado na Fusion X-Cel, mesma equipe de Ronaldo 'Jacaré', o brasileiro concedeu à reportagem da Ag. Fight a primeira entrevista exclusiva desde a confirmação do duelo.

Antes de receber a proposta do Ultimate para enfrentar Romero, Borrachinha negociava um confronto contra Chris Weidman. Apesar da mudança de rival, o mineiro declarou que não alterará os planos de treino, uma vez que os dois adversários têm o wrestling como especialidade.

"Na verdade, os dois são bem parecidos, então não muda tanto a preparação, não. Acho que o Romero é até um pouco mais fácil por ser menor, por ter envergadura menor. Com isso, vou conseguir golpeá-lo com mais facilidade, vou achá-lo com mais facilidade. Mas a preparação em si é bem igual, porque os dois tem uma característica bem igual", analisou.

Paulo afirmou desconhecer o motivo de não ter conseguido concretizar o desafio feito a Weidman. O peso-médio disse que havia escolhido o 'All-American' como alvo para tentar arrancar do americano o rótulo de algoz de brasileiros. Chris já derrotou Demian Maia, Anderson Silva (duas vezes), Lyoto Machida e Vitor Belfort.

"Não sei porque não se concretizou. Eu pedi para o Dana, pedi para o Mick e coloquei nas redes sociais. Porque o Weidman tem um histórico de ganhar dos brasileiros, né, então eu queria vingá-los, fazer essa vingança para todos os brasileiros que se sentem com a alegria roubada de terem visto lutadores brasileiros tendo perdido. Então, eu queria retomar isso em cima dele, mas agora o porquê de não ter acontecido eu não sei, o UFC vai saber falar melhor", falou à Ag. Fight.

Embora Romero seja temido por grande parte da divisão, Paulo disse acreditar que o estilo de jogo do cubano encaixa ainda melhor com o seu. De acordo com o invicto brasileiro, Chris seria um adversário mais complicado.

"Eu acho que o Romero vai ser um casamento de luta melhor para mim do que o Weidman, em termos de dificuldade. Tinha pedido o Weidman, porque eu não olho dificuldade, eu busco quem pode me projetar mais. Fui surpreendido positivamente pelo UFC, quando me sugeriram o Romero, porque achei que eles não iam me oferecer ele, achava que o Weidman era mais viável. Mas parece que o UFC está bem confiante nas minhas apresentações e já me deu logo o número 1, então eu fiquei feliz. Mas acho que o Romero um pouco mais fácil", avaliou.

Um possível empecilho para as pretensões de Borrachinha é uma luta que, provavelmente, acontecerá no mesmo card em que vai lutar. De acordo com o site da emissora americana 'ESPN', Weidman e Luke Rockhold negociam para se enfrentar também no UFC 230. Como se trata de um duelo entre dois ex-campeões, há a possibilidade de um deles 'furar' a fila rumo a um title shot. Ciente disso, o brasileiro afirmou que pretende usar seu poder de nocaute ou seu jiu-jitsu para selar a vitória, a fim de impressionar mais os fãs e os executivo.

"Vencendo o Romero, acredito, sim, e muito, que a chance vai ser dada a mim, mas depende muito também de como vence. Por isso, vou buscar nocautear como sempre faço, como sempre fiz. Não existe essa de amarrar a luta. Comigo não existe isso de levar por pontos. Vou nocautear ou finalizar. Ele vai ter uma luta muito difícil. Vamos ver como vai ser a luta do Weidman contra o Rockhold, porque eles também têm muita chance. Mas acho que quem vencer melhor vai para o título. Ou então, se o Whittaker não estiver preparado para fazer uma luta até fevereiro/março, a gente pode lutar, o vencedor de Romero e eu, contra o vencedor de Rockhold e Weidman", disse.

Mesmo com a ascensão de Borrachinha e a presença de vários outros concorrentes, o próximo title shot foi prometido pelo UFC a Kelvin Gastelum, que, junto com o campeão Robert Whittaker, vai ser um dos treinadores do reality show The Ultimate Fighter 28.

MMA