PUBLICIDADE
Topo

Esporte

José Aldo vê 'caminho mais fácil' para título, mas mantém plano de aposentadoria

Felipe Paranhos, em Salvador (BA)

Ag. Fight

25/07/2018 17h38

Com quatro lutas restantes em seu contrato com o UFC, José Aldo já decidiu se aposentar do MMA quando encerrar suas obrigações com a organização. E, uma vez que o clima é de contagem regressiva, o afastamento por tempo indeterminado do campeão Max Holloway pode acabar encurtando o caminho do brasileiro na sua última investida pelo título. Em entrevista coletiva virtual da qual a reportagem da Ag. Fight participou, Aldo deixou clara a importância de vencer Jeremy Stephens neste sábado (28), no UFC Calgary, a fim de ficar à disposição para uma eventual disputa de cinturão interino contra Brian Ortega, desafiante número 1 do peso-pena (66 kg).

Holloway foi diagnosticado com sintomas de concussão às vésperas do UFC 226, no qual faria a luta coprincipal diante de Ortega. Suas condições físicas ainda são uma incógnita e, embora o havaiano tenha publicado nesta semana em suas redes sociais que está melhorando, o presidente do UFC, Dana White, já deixou claro que não vai apressar o retorno do campeão. Sendo assim, é provável que 'T-City' dispute um título interino enquanto Max se recupera. De acordo com Aldo, em "bem breve" seu futuro será definido, mas, mesmo com um title shot em vista, a perspectiva de aposentadoria será a mesma.

"Primeiramente, tenho que vencer no sábado. Meu principal objetivo é vencer no sábado. Aí, sim, vencendo, eu tenho uma grande oportunidade de, quem sabe, no futuro fazer esse cinturão interino com o Ortega. Mas é uma situação delicada, pelo fato de que o Holloway está passando por esse problema e a gente não sabe quando ele volta e se vai voltar", falou.

"O caminho pode estar mais fácil. A gente tem de focar na próxima luta. O primeiro passo é vencer sábado. A gente vai ver o futuro bem breve se disputa de cinturão ou não. Mas não passa pela cabeça renovar o contrato depois disso não", acrescentou.

Para Aldo, a condição de Holloway é, ao mesmo tempo, exemplo e motivo para apressar sua aposentadoria. Questionado pela Ag. Fight sobre o receio de futuros problemas de saúde por causa do período como lutador, o ex-campeão destacou que, sim, a saúde é um temor para o futuro.

"É por isso que eu acho que é o momento certo de parar agora. A gente faz esse contrato, a gente tem em mente isso. O primeiro objetivo é conquistar o cinturão para depois pensar nisso, mas, lógico, não só eu como todos os atletas temem isso. A saúde vem em primeiro lugar, então temos que tomar as medidas, as precauções para que isso não venha a acontecer", analisou.

Dono de uma das maiores carreiras da história do MMA, José Aldo vem de três derrotas nas últimas quatro lutas. Após ser nocauteado por Conor McGregor, o brasileiro se recuperou ao vencer Frankie Edgar por decisão unânime, no UFC 200, mas em seguida foi duas vezes nocauteado por Holloway, quando tentava reconquistar o cinturão linear da categoria.

Esporte