PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Campeão do Bellator, Patrício 'Pitbull' festeja fim das revanches e analisa provável rival

Felipe Paranhos, em Salvador (BA)

Ag. Fight

24/07/2018 07h00

Campeão peso-pena (66 kg) do Bellator, Patrício 'Pitbull' já fez 19 lutas na organização, mas só enfrentou 13 adversários diferentes. Isso por causa das seis revanches que fez desde 2011, quando começou sua jornada na segunda maior empresa de MMA do mundo. Depois de muito aceitar as demandas do show, porém, o brasileiro passou a pedir novos adversários ? e, ao que tudo indica, seu desejo será atendido. Emmanuel Sanchez, mais recente lutador a ser desafiado pelo potiguar, já fala como próximo desafiante. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, o atleta comemorou o fim das revanches e destacou o merecimento da oportunidade que Sanchez parece ter conquistado.

Antes de encaminhar seu próximo combate, porém, Pitbull precisou vencer Daniel Weichel no Bellator 203, no último dia 14, em Roma (ITA). Diferentemente do primeiro encontro entre os dois, no qual Patrício venceu por nocaute, desta vez a luta chegou à decisão dos juízes, que se dividiram, mas garantiram o triunfo ao campeão. O brasileiro discordou do árbitro que pontuou o embate a favor de Weichel e disse ter o apoio do presidente do Bellator, Scott Coker, nesta avaliação.

"Era uma luta que sabíamos que ele levaria muito perigo, tendo em vista que ele me deu um knockdown muito duro na primeira luta, então fizemos uma estratégia para tirar o ímpeto dele no primeiro round, e foi o que aconteceu. Foi um primeiro round morno, mas estratégico, proposital. Queríamos que ele jogasse golpes no vento para poder se cansar mais um pouco, mas ele ficou mais comedido. Ele é um cara que, apesar de a envergadura ser muito grande e de ele ser talvez o lutador mais alto da categoria no Bellator, ele é um contragolpeador, não cerca muito para atacar, só procura a luta quando é atiçado, então fiz muita finta, andei, tentei fazer com que ele atacasse", avaliou.

"No segundo round, fui mais agressivo, já botei um ritmo melhor, consegui acertar muitas sequências fortes nele. O terceiro round seria o round que eu daria pra ele. Fui colocado para baixo. Eu dei um chute, ele conseguiu pegar minha perna e me botou para baixo. Ficou por cima sem muita efetividade, basicamente só o controle mesmo e, chegando perto do fim do terceiro round, ele quase me deu uma finalização. Eu saí, levantei e dei uma sequência muito forte nele, que chegou a balançá-lo, mas não sei se foi suficiente para virar esse round. Acho que não. No quarto round, mais uma vez cheguei perto de acabar a luta. E no quinto eu levei a luta para casa. Até o presidente do Bellator falou: 'Não, essa luta não tem nem o que discutir, não tem como ser decisão dividida. Patrício ganhou claramente'. E é assim que eu vejo também. Apesar de ele ter vindo muito forte, eu ganhei com larga vantagem", opinou à Ag. Fight.

Sobre Sanchez, que vem de sete vitórias em oito combates, Patrício mostrou respeito. Além de compará-lo com o peso-leve do UFC Tony Ferguson por seu estilo incomum, o potiguar destacou o fato de que finalmente fará uma luta valendo cinturão contra um adversário inédito, o que não acontece desde 2015, quando enfrentou Weichel pela primeira vez.

"Emmanuel Sanchez é um cara que merece. Ele está vindo de vitórias expressivas, finalizou agora Daniel Straus, acho que merece a vez pelo cinturão. E graças a Deus é um cara novo, né. Mas eu já tinha meio que decretado ali: eu falei para o Bellator que eu não faria mais revanches, e não farei mesmo. Só farei se eu perder o cinturão. Aí, sim, eu deveria ter a chance de lutar imediatamente pelo título, porque eu venho dando revanche a todo mundo, então não fazia sentido que se por acaso eu perdesse, eles não me dessem a disputa imediata. Vai ser uma luta eletrizante. Ele é um cara que parece muito com o Tony Ferguson, é um cara estranho", falou.

Sanchez não perde desde junho de 2016, quando foi derrotado por decisão dividida por Weichel. De lá para cá, fez quatro embates, derrotando Georgi Karakhanyan, Marcos 'Loro' Galvão, Daniel Straus e Sam Sicilia ? os dois últimos por finalização.

Esporte