PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

'Moicano' relembra ataque de McGregor a ônibus: "Pensei que fosse atentado"

Renato Moicano acerta soco em Zubaira na primeira luta do card preliminar do UFC 198 - Heuler Andrey/UOL Esporte
Renato Moicano acerta soco em Zubaira na primeira luta do card preliminar do UFC 198 Imagem: Heuler Andrey/UOL Esporte

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

21/07/2018 09h00

Mesmo sem estar escalado para o UFC 223, em abril, Conor McGregor foi o lutador que marcou o evento. Isso porque, dois dias antes do show, quando os atletas deixavam a arena após darem entrevistas à imprensa, o irlandês invadiu o estacionamento e, junto com companheiros de equipe e amigos, atacou o ônibus que carregava parte dos competidores do evento. A confusão, que causa até hoje problemas judiciais para o ex-campeão dos penas (66 kg) e dos leves (70 kg), foi testemunhada por Renato Moicano, que estava dentro do veículo.

Na ocasião, Moicano se preparava para enfrentar Calvin Kattar, a quem acabaria derrotando no evento. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, o brasiliense revelou que pensou se tratar de um atentado terrorista, de tão inusitada que foi a situação.

"O Chiesa e a Rose estavam no primeiro ou segundo banco e eu estava literalmente no último banco à direita e, na minha frente, estavam o Khabib e o empresário dele, e comigo estavam minha esposa e o Alex Davis. Então, a gente estava sentado bem no lugar onde o McGregor começou a pular e a bater. Eu vi tudo de camarote, mas na hora não consegui ver que era o McGregor, consegui ver batendo no ônibus, todo mundo subiu. Aí na hora só tinha russo dentro do ônibus, era a equipe toda do Khabib, então estava lotado de russos, e eu pensei que fosse um ataque terrorista ou alguma coisa do tipo. Foi a única coisa que me veio na cabeça, não sei por quê, se era porque estávamos nos EUA e tal, aí, quando eu vi, estava o McGregor pulando e dando soco na janela igual um maluco, e quando eu vi eu pensei: 'Bicho, é o McGregor!'", contou.

"Aí a confusão foi se desenrolando, o cara quebrou, o pessoal se machucou, e na hora eu nem acreditei, só pensava: 'Que loucura foi isso'. E, depois que a gente saiu, começamos a ver os vídeos e a repercussão. Só aí que fui me dar conta que aquilo tinha realmente acontecido. É engraçado, porque quando acontece muito na sua frente você acaba que nem consegue ver", declarou.

O caso teve muitas consequências diretas no evento. Artem Lobov, que estava com McGregor e enfrentaria Alex Caceres, foi retirado do card como punição. Chiesa, que tinha duelo marcado contra Anthony Pettis, sofreu machucados no rosto por causa dos estilhaços da janela quebrada por Conor e foi afastado do show pelos médicos. O mesmo aconteceu com Ray Borg, que encararia Brendon Moreno. Renato, que teve a sorte de não ser atingido pelos pedaços de vidro, afirmou que conseguiu se manter focado apesar da situação absurda que havia vivido pouco antes.

"Não me atrapalhou, não. Eu estava até falando com o Alex Davis que o pessoal ficou bastante abalado, alguns dos lutadores, principalmente a Rose, que ficou bastante abalada depois. Mas eu procuro abstrair isso aí tudo, porque não faz diferença alguma na hora da luta. Do mesmo jeito é a plateia, do mesmo jeito é tudo que pode vir a te atrapalhar. É só você não prestar atenção e focar no que tem que fazer, e foi justamente o que eu fiz. Saí de lá, já fui direto para o hotel e comecei a correr para cortar meu peso e fui treinar, para no dia seguinte estar bem na pesagem", falou.

Moicano é o décimo colocado no ranking peso-pena do UFC. Ele terá pela frente, no UFC 227, em 4 de agosto, Cub Swanson, que ocupa o quarto posto. O brasileiro, que revelou à Ag. Fight fazer pesquisas incessantes sobre seus adversários, planeja entrar no top 5 da divisão se vencer Cub.

MMA