PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Shogun lidera UFC Hamburgo de olho em 'furada de fila' por cinturão

Maurício "Shogun" tenta "furar a fila" em disputa por cinturão - Matthew Stockman/Getty Images
Maurício "Shogun" tenta "furar a fila" em disputa por cinturão Imagem: Matthew Stockman/Getty Images

Ag. Fight

21/07/2018 20h00

Embalado por três vitórias seguidas no octógono, Maurício 'Shogun' encara Anthony Smith na luta principal do UFC Hamburgo, neste domingo (22), de olho em uma disputa pelo cinturão dos meio-pesados (93 kg). Apesar de ocupar apenas a oitava posição do ranking oficial de sua categoria, o brasileiro tem motivos de sobra para confiar que tal chance pode se concretizar.

Daniel Cormier, campeão do evento, afirmou publicamente que deseja enfrentar Shogun naquela que seria sua última apresentação na categoria - 'DC' revelou que fará apenas mais duas lutas e que a última delas seria contra Brock Lesnar, na divisão dos pesos-pesados. Portanto, vencer Anthony Smith pode ser a última chance do curitibano de retomar o topo do esporte, aos 36 anos.

Campeão do UFC em 2010, Shogun apresentou carreira inconstante nos últimos anos. Lesões, derrotas e longos períodos de inatividade fizeram do lutador uma lembrança distante na fila dos possíveis desafiantes ao título. No entanto, o chamado do campeão pode garantir o bilhete dourado e o direito de furar a fila.

Para isso, porém, todo cuidado é pouco. Aos 29 anos, Smith, que foi convocado de última hora para cobrir a vaga deixada por Volkan Oezdemir, costuma lutar como peso-médio (84 kg) e, portanto, não sofreu como corte de peso. Além disso, o jovem rival é dono de um estilo agressivo que deixou apenas três de suas 42 lutas chegarem à decisão dos jurados.

Ativo no octógono, o americano costuma se apresentar três vezes por ano, marca que será alcançada nesta temporada já diante de Shogun. Por sua vez, o brasileiro, também agressivo em seus combates, realizou apenas um combate por ano desde 2015 e pareceu distante do potencial apresentado no auge de sua carreira, apesar das vitórias.

Com este casamento de estilos em jogo, o ex-campeão do Pride deve fazer uso de sua experiência para conter o ímpeto inicial do adversário, para, a partir daí, jogar de forma franca, quando seu maior poder de nocaute pode fazer a diferença. Se a estratégia der certo, pedir por uma luta com Cormier ainda no octógono logo aós o confronto não parece uma má ideia - e uma impensada 'furada de fila' pode abrilhantar o final da carreira do ex-campeão do Pride e UFC.

MMA