PUBLICIDADE
Topo

Esporte

'Shogun' admite surpresa por declaração de Cormier, mas aceita desafio

Gaspar Bruno, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

20/07/2018 07h00

Parece unanimidade que Mauricio 'Shogun' Rua vive o seu melhor momento na carreira desde 2010, quando conquistou o cinturão do UFC ao nocautear Lyoto Machida. No entanto, mesmo embalado por três vitórias seguidas na organização, o desafio feito por Daniel Cormier surpreendeu o lutador. Em recente entrevista ao podcast 'Ariel Helwani's MMA Show', 'DC' elegeu o brasileiro como possível desafiante ao título dos meio-pesados (93 kg) e o recolocou nos holofotes do MMA mundial.

Em entrevista exclusiva com a reportagem da Ag. Fight, o ex-campeão do GP do Pride e do UFC revelou que devido ao tempo de inatividade não esperava essa menção por parte de Cormier. Mesmo assim, o curitibano aceitou esta possibilidade, que pode se concretizar em caso de vitória neste domingo (19) contra Anthony Smith, em Hamburgo (Alemanha).

"Fiquei surpreso , até porque eu não luto há muito tempo. Com certeza é uma luta que eu almejo também. É isso, vejo com bons olhos e está nos meus planos essa luta aí", admitiu o atleta.

Shogun teve seu próximo adversário substituído apenas três semanas antes do evento em Hamburgo. De acordo com o brasileiro, esse tipo de troca normalmente atrapalha a preparação para o combate, embora os estilos parecidos dos rivais não tenham exigido tantas adaptações em seu treinamento. Inicialmente, o atleta enfrentaria Volkan Oezdemir, que mais uma vez teve problemas na retirada de seu visto e deu lugar a Anthony Smtih.

Ao saber da substituição, o meio-pesado se reuniu com sua equipe e aceitou de imediato o confronto com Smith. De acordo com Shogun, essa será uma boa luta uma vez que seu rival "vai para cima e não amarra o combate". Em caso de vitória sobre o americano, o brasileiro deixa claro que sua vontade é a de disputar o cinturão em seu próximo duelo.

"Acredito que se eu vencer essa luta, a próxima será pelo cinturão, sim. Pela minha carreira, pela minha história. Mas também eu não penso nisso ainda, meu foco é 100% na luta domingo contra o Smith", opinou.

Outro tema que acompanha a carreira do ex-campeão nos últimos anos é a assiduidade do brasileiro dentro dos octógonos. Desde 2015, Shogun entrou em ação apenas uma vez por ano, mas para encarar Cormier ele teria que quebrar essa escrita e voltar a competir já em novembro deste ano.

"Se eu vencer bem essa luta, não machucar nem nada, é meu foco sim , não vejo problema. Novembro é uma data tranquila. Mas meu foco agora é no Smith, independentemente do que for acontecer, meu foco é no domingo", analisou o curitibano.

Apesar de experiente, o lutador garantiu que busca sempre melhorar em todos os aspectos da luta com o passar do tempo, até mesmo no muay thai, seu carro-chefe. No entanto, depois de travar 35 batalhas como profissional de artes marciais mistas, seu tempo para concluir esta evolução parece contado.

"Eu pretendo lutar até onde eu vir que estou bem, que eu estou com um físico bom. Nessa altura, a gente pensa em parar, mas por enquanto estou focado nos treinos. Acho que até uns 40 anos eu consigo ter um bom rendimento", finalizou.

Aos 36 anos, Maurício vive bom momento na carreira e soma 25 vitórias e 10 reveses em sua história. Já seu adversário, o americano Smith, vem de triunfo contra o ex-campeão do UFC e recém-aposentado Rashad Evans.

Esporte