PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Michael Chiesa culpa Conor McGregor por não ter lutado por cinturão do UFC; entenda

Ag. Fight

29/06/2018 10h14

A confusão causada por Conor McGregor em abril deste ano ainda dá o que falar. Na ocasião, às vésperas de um card do UFC a ser realizado na cidade de Nova York (EUA), o irlandês, acompanhado de amigos, atacou um ônibus com lutadores do evento o que, graças aos danos causados pelas janelas quebradas, obrigou o cancelamento de algumas disputas. E dentre os prejudicados, Michael Chiesa deixa claro que está longe de perdoar o ex-campeão.

Afinal, a atitude impensada teria custado, na análise do americano, sua própria chance de disputar o cinturão do UFC. Isso porque, aquele mesmo evento ficou marcado por uma dança de cadeiras que 'premiou' Al Iaquinta com a oportunidade de substituir Max Holloway e enfrentar Khabib Nurmagomedov na luta principal da noite. E, ao menos para Chiesa, não fossem os estilhaços que cortaram seu rosto e o impediram de lutar, seria ele que teria agarrado tal oportunidade.

"Eu não tenho muito a dizer. Perdi uma luta pelo cinturão. Tenho provas. Eu era o melhor ranqueado do card. Eu teria aceitado a luta contra o Khabib sem hesitar. Sempre adorei a ideia de enfrentar o Khabib. Ele é uma cara muito legal, mas isso é um espore e eu sempre gostei da ideia de enfrentar ele. Mas estragaram a minha oportunidade", narrou durante conversa com jornalistas em Las Vegas (EUA), antes de  se recusar a falar abertamente sobre Conor, contra quem ainda lhe resta o direito de mover uma ação judicial.

"Não tenho muitas coisas boas para falar . Você trabalha sua vida inteira por essa oportunidade. Se eu quero a minha em cima da hora? Não, eu preferiria um camp completo. Mas como eu digo, se abrirem a porta e perguntarem se eu topo lutar pelo cinturão em dez minutos, eu entro pela porta e começo a aquecer. Estou pronto", relatou.

De fato, Chiesa é melhor ranqueado do que o Iaquinta e, a julgar pela necessidade do UFC em colocar uma disputa que valesse o cinturão para liderar o card, é possível, sim, que ele fosse um dos nomes sondados. Na ocasião, por sinal, outros atletas como Anthony Pettis, também foram cogitados para a vaga. E é justamente contra o ex-campeão dos leves (70 kg) que ele retorna ao octógono no dia 7 de julho.

"Perder essa oportunidade foi difícil. Vocês sabem como esse esporte funciona. Oportunidades assim são aparecem toda hora. Eu poderia vencer 15 lutas seguidas e ainda não ter um title shot. Perdi minha oportunidade e sonho. Espero trabalhar para ter essa chance de novo, começando dia 7 de julho contra Anthony Pettis", finalizou.

Esporte