PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Weidman revela complicações de lesão rara que o impedem de voltar ao UFC

Ag. Fight

26/04/2018 15h42

Após se recuperar de uma sequência de três derrotas consecutivas e finalizar Kelvin Gastelum, em julho passado, Chris Weidman precisou passar por uma cirurgia no polegar devido a uma lesão adquirida no combate. No entanto, o ex-campeão dos médios (84 kg) teve uma recuperação mais demorada que o previsto e, há algumas semanas, anunciou que precisaria se submeter a uma nova operação. Em reabilitação pela segunda vez, o americano quebrou o silêncio e explicou a gravidade da lesão.

Inicialmente, o ex-campeão dos médios precisaria de algumas semanas para poder retornar ao UFC, mas uma raridade médica exigiu que o atleta ficasse afastado por oito meses e ainda segue sem uma data para voltar. Depois desse período, Weidman revelou que passou por complicações e precisaria de uma nova cirurgia para reverter o seu quadro. Em entrevista ao programa 'MMA Hour', o lutador entrou em detalhes sobre a sua lesão, pela primeira vez.

"Depois que a luta acabou, fui ao médico e descobri que precisava de uma cirurgia, então fiz. Eles tiraram um tendão do meu pulso e usaram para criar o ligamento do meu dedão. E eles disseram que seria uma recuperação rápida. Quando me dei conta, tinham se passado oito meses. Acho que, por causa do trauma da cirurgia, os meus ossos foram drenados e pararam de receber sangue. É um caso em um milhão. Os meus ossos não recebiam sangue e estavam começando a se desfazer. Perdi toda a cartilagem entre as minhas juntas e foi bem dolorido durante esses oito meses, quando eu tentava treinar e passar por isso", narrou o americano.

"Pelo menos eu descobri que tinha um problema. Eles tiraram um osso do meu quadril e criaram um novo ligamento. E agora está bom. Estão estimando de seis a oito semanas de recuperação, o que é melhor que oito meses. Senti muita dor nesses oito meses. Toda manhã, tentava acordar e ser positivo, dizia para mim mesmo que eu estava melhorando, mas não estava. Então, estou feliz. Não tem mais confusão e sei exatamente pelo que estou passando. Sei que existe uma luz no fim do túnel agora e não está longe. O fato de eu estar fora por tanto tempo é loucura. Os médicos que eu fui, mesmo como segunda avaliação, disseram que nunca tinham visto aquilo antes. Foi azar. Estou otimista e voltarei melhor do que nunca", concluiu.

Apesar de estar mais otimista dessa vez, Weidman ainda não arriscou dizer quando poderia retornar ao octógono. No entanto, o americano parece não estar preocupado, já que opinou que está em um nível superior aos demais lutadores da divisão peso-médio. Ao longo dos quase nove anos como profissional, o ex-campeão acumula 14 vitórias e três derrotas.

Esporte