PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Fora do UFC, 'Bodão' se torna um peso-pesado em busca de prêmio milionário

Lais Rechenioti, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

19/04/2018 17h44

Francimar 'Bodão' estreou no octógono em 2013, mas depois de performances inconstantes - em nove atuações foram quatro vitórias, quatro derrotas e um confronto sem resultado - a sua história na maior organização de MMA do mundo chegou ao fim. No entanto, os planos do atleta nascido no estado do Acre ainda continuam. Contratado pela PFL (Professional Fighters League), o novo peso-pesado se prepara para o torneio da empresa e parece mirar voos altos.

Fora do UFC desde janeiro passado, o brasileiro revelou que "não conseguia" engatar uma sequência de vitórias no octógono e isso o prejudicou. Para não sofrer com esses mesmos erros, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Bodão garantiu que quer deixar para trás o seu passado no Ultimate e se concentrar no desafio que tem pela frente. Além disso, para melhorar o seu desempenho dentro do cage, o atleta assegurou que aposta na mudança de categoria, já que não sofrerá mais com o corte de peso.

"Dentro do UFC eu não sei como, não dava, não consegui manter uma sequência de vitórias. Não foram constantes vitórias, mas quero esquecer isso, estou em uma nova organização. Quero dar o meu melhor, assim como dei em outras organizações que lutei. Quero sempre vender bem para o evento, dar o meu melhor para o evento. Hoje estou lutando em outra categoria, estou nos pesados. Agora, não vou precisar cortar peso, corto peso há muito tempo, acho que vou conseguir render mais, acredito que sim. Estou trabalhando para isso, estou fazendo uma preparação muito boa, estou forte para isso. Acho que a mudança de peso me ajudou muito", projetou o lutador.

"Assim que eu saí do UFC, eles me mandaram várias propostas. E como tenho alguns amigos que já lutam lá, foi mais fácil para ficar mais animado de estar nesse evento. Conheci mais e procurei saber como era, como era a forma que eles trabalhavam, fui pesquisar sobre o evento, como são os contratos, fui analisar mais. Porque tem vários brasileiros lutando na PFL e isso me chamou a atenção. Assinei o contrato e já viajei para os EUA. Estou em Las Vegas (EUA) e estou gostando muito", narrou.

Na nova organização, Bodão é um dos 31 ex-UFCs que participarão do torneio da PFL, que começará em junho. Os vencedores de cada categoria receberão um cheque de 1 milhão de dólares (aproximadamente R$ 3,5 milhão) cada, e esse pagamento pode cair nas mãos do atleta e mudar sua vida. Confiante que sua história será diferente na nova empresa, o brasileiro já fez planos para o destino dessa premiação.

"Vou manter como sempre venho fazendo. Vou ganhar esse prêmio sim. Vou continuar meus investimentos, continuar as coisas que eu acredito e que funcionam. Vou investir meu dinheiro, fazer ele render. Sou um cara bem tranquilo hoje, gosto de ficar tranquilo, gosto de relaxar. O que eu procuro é ficar bem tranquilo no meu intervalo de uma luta para outra, vou investir nisso. Investir no meu trabalho, investir em mim", revelou o brasileiro.

Apesar de estar inscrito no torneio da PFL, o acreano assegurou que o seu futuro após a competição ainda segue incerto. Mesmo assim o lutador mostrou confiança de que conseguirá aumentar os resultados positivos em seu cartel, que acumula 19 vitórias e sete derrotas.

Esporte