PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Comentarista do UFC critica tratamento especial dado a McGregor após confusão

Ag. Fight

19/04/2018 12h31

Depois do ataque de Conor McGregor às vésperas do UFC 223 - evento realizado no dia 7 de abril, em Nova York (EUA) -, Dana White reprovou as atitudes do irlandês e sugeriu que haveria uma punição para todos os envolvidos. Mas, conforme a poeira baixou, o desprezo do presidente do Ultimate pareceu diminuir. Com a possibilidade de que nada aconteça com o 'Notorious', Joe Rogan, repórter da maior organização de MMA do mundo, considerou que o comportamento do ex-campeão dos leves (70 kg) não mudará.

Passados alguns dias após a confusão, não houve qualquer indício que McGregor será punido pelo Ultimate. E, de acordo com Joe Rogan, isso se dá pela fama e importância do irlandês para a organização. Em recente episódio do seu programa 'JRE MMA Show', o comentarista do UFC opinou que as consequências seriam diferentes se o Notorious estivesse dentro da van que fazia o transporte dos atletas de volta para o hotel e outro lutador a atacasse. Além disso, o repórter ponderou que não sofrer as consequências dos seus atos é a causa do comportamento explosivo do ex-campeão.

"Vamos imaginar um cenário diferente. Imagine que Ray Borg arremessasse coisas e Conor estivesse dentro da van. Seria o fim da carreira dele , ele estaria acabado. Isso foi uma das coisas mais f***, porque o Conor está recebendo tratamento especial. Ele está sim e isso não é bom para ninguém", narrou.

"Michael Chiesa... Estou triste com o corte de Chiesa, mas ele é durão, ficará bem. Ele provavelmente está aborrecido e processará Conor. Vai ganhar um bom dinheiro o processando. Mas e se tivesse pegado na Rose ? A p*** do mundo todo o odiaria. E se a Rose estivesse cega de um olho por causa disso? Se eu fosse o Conor, resolveria todas as coisas fora da Corte, porque se ele perder, se ele for preso, ele está f***. Ele nem poderá voltar ao país", analisou Rogan.

Depois da confusão, McGregor responderá por crime doloso e contravenção no próximo dia 14 de junho e, até lá, não poderá se aproximar de qualquer vítima. Na véspera da edição 223 do show, o irlandês se entregou para a polícia e foi liberado após o pagamento da fiança. Durante esse caos, Michael Chiesa e Ray Borg que ficaram feridos pelos estilhaços, não foram tiveram autorização médica para permanecerem no evento. A atual campeã dos palhas (52 kg) revelou que, durante o ataque, ficou em estado de choque e temeu pela segurança de todos os atletas que estavam dentro do veículo.

Esporte