PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Bate-Estaca admite início complicado em vitória no UFC Orlando: "Me perdi"

Rey Del Rio/Getty Images
Imagem: Rey Del Rio/Getty Images

Ag. Fight

26/02/2018 05h00

Jéssica "Bate-Estaca" deu sequência ao seu bom momento desde que desceu para a divisão dos palhas (52 kg) com uma vitória importante diante de Tecia Torres nesse sábado (24), na co-luta principal do UFC Orlando. Mas engana-se quem pensa que o duelo foi simples e tranquilo para a brasileira.

Em entrevista coletiva após o evento, Jéssica admitiu que teve grande dificuldade para impor o seu jogo no início do primeiro round, quando a americana foi melhor e acertou vários golpes no rosto da brasileira. A estratégia de caminhar para trás, bater e sair de Tecia confundiu a paranaense nos primeiros minutos.

"No começo da luta eu me perdi bastante. Tinha treinado muito limpar e entrar com o golpe. Mas a caminhada dela me atrapalhou bastante. Vi a brecha no fim do primeiro round, quando consegui a queda e senti que aquele era o caminho. Aos poucos fui me achando e vendo onde podia encaixar os meus golpes", analisou Bate-Estaca.

Percebendo que o melhor planejamento seria realmente trabalhar a luta no chão, Jéssica foi implacável no restante do duelo e abusou das quedas para minar o jogo da adversária.

"Essa luta foi definida pelas quedas. O trabalho de 'ground and pound' e a pressão para não deixar a adversária subir. Com certeza as quedas foram fundamentais para essa vitória", relatou.

Foi mais um importante passo para Jéssica Bate-Estaca voltar a sonhar com o cinturão dos palhas do UFC. A brasileira disputou o título em maio de 2017, mas foi superada pela então campeã Joanna Jedrzejczyk. Depois do revés, além do triunfo diante de Tecia, a paranaense também superou a compatriota Claudinha Gadelha.

Atual número dois do ranking e atrás apenas de Joanna, Jéssica espera que os resultados positivos das últimas duas lutas sejam suficientes para que ela possa encarar a vencedora de Rose Namajunas x Joanna Jedrzejczyk, que acontecerá no dia 7 de abril. E a brasileira já sabe para quem vai torcer.

"Como atleta, gostaria que a Namajunas continuasse campeã. Ela tem mostrado que é campeã de verdade. Como caráter e como pessoa ela é fenomenal. Torço muito para ela continuar com o cinturão. Na primeira luta acho que a Joanna a subestimou e a Namajunas acabou a luta bem rápido. Acho que a Joanna virá diferente para essa luta e pode ser que vença, mas a minha preferência é pela Namajunas".

MMA