PUBLICIDADE
Topo

Esporte

'Barão' analisa mudança de academias e se nega a comentar racha entre Kimura e Nova União

Lais Rechenioti, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

22/02/2018 07h00

Renan 'Barão' subirá ao octógono no UFC Orlando - evento marcado para este sábado (24), no Estados Unidos - contra Brian Kelleher e precisa da vitória para espantar a má fase que vive em sua carreira. O brasileiro perdeu o cinturão dos pesos-galos (61 kg) justamente para o atual campeão TJ Dillashaw, em 2014, e desde então oscila entre vitórias e derrotas - foram quatro revezes em suas últimas seis atuações.

Apesar de negar que sofra pressão do UFC ou de si mesmo para voltar a ter bons resultados, o lutador, que encara o processo de corte de peso até a pesagem marcada para a manhã de sexta-feira, parecia estar de mau humor durante a entrevista exclusiva com a Ag. Fight. E mesmo que de fato ele não se sinta "obrigado" a ganhar, uma coisa é certa: foi preciso mudar de ares para dar um novo gás em sua carreira.

Atualmente Barão é mais um dentre tantos atletas do Ultimate que treinam pela American Top Team. Antes da mudança em definitivo, o brasileiro intercalava os treinos na academia localizada na Flórida com a equipe formada pelo seu treinador de longa data Jair Lourenço. Mas, de acordo com o lutador, a falta de material humano no Arizona o forçou a se estabelecer na ATT.

"Na verdade, agora estou treinando aqui na American Top Team. Porque lá no Arizona, a equipe que me juntei é ótima, mas faltava material humano para eu poder treinar. Não tinha gente do meu peso. Então, precisei sair de lá por causa disso e para procurar ares diferentes também", lamentou o atleta.

Quando ainda morava no Brasil, Barão treinava na academia Nova União, time que, sob a liderança de 'Dedé' Pederneiras, manteve parceria com a Kimura - time de Jair Lourenço que revelou atletas como Claudia Gadelha, Jussier 'Formiga' e Renan Barão. No entanto, em novembro do ano passado, o intercâmbio entre as equipes chegou ao fim.

Apesar de poucas informações tenham sido divulgadas sobre o término da parceria, Barão se recusou a falar sobre o assunto. O peso-galo (61 kg) argumentou que já estava treinando no Estados Unidos, portanto, não sabia sobre a rixa entre as academias e optou por encerrar o assunto de forma ríspida.

Sobre o seu próximo adversário, o ex-campeão do UFC garantiu que possui "um jiu-jitsu superior". Como o americano possui cinco derrotas por finalização, Barão analisou que levar a luta para o chão pode ser a melhor alternativa para tentar deixar a série de derrotas para trás.

"Meu jiu-jitsu é bem superior ao dele. Ele vem de algumas derrotas por finalização, então acho que pelo jiu-jitsu seja o melhor caminho para eu ir, e um bom caminho para a vitória. Penso em lutar para frente o tempo todo, meu objetivo é tentar nocautear ou finalizar a qualquer momento. Se tiver a oportunidade de nocautear ou finalizar, vou fazer isso com certeza. Talvez seja no segundo round ou no primeiro", narrou.

Esporte