PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Gilbert 'Durinho' aposta em retrospecto para vencer no UFC Orlando

Gilbert Durinho comemora vitória por Lukasz Sajewski nos leves - Rigel Salazar/Ag Fight
Gilbert Durinho comemora vitória por Lukasz Sajewski nos leves Imagem: Rigel Salazar/Ag Fight

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

21/02/2018 06h00

No card preliminar do UFC Orlando - evento marcado para este sábado (24), na Flórida (EUA) -, Gilbert 'Durinho' volta ao octógono com uma missão: voltar a engrenar uma sequência de vitórias na organização. Prestes a enfrentar Olivier Aubin-Mercier, o brasileiro fez algumas mudanças nos seus treinamentos para que a falta de regularidade não volte a acontecer. Apesar de conhecer as habilidades do canadense, o peso-leve (70 kg) garantiu que o seu retrospecto no esporte comprova sua superioridade no MMA.

Em suas últimas quatro atuações, Durinho intercalou vitórias com derrotas no octógono, deixando para trás a regularidade que poderia tê-lo colocado em melhores posições no ranking oficial. No entanto, o brasileiro garantiu que confia no seu histórico como profissional: ter vencido 11 dos seus confrontos por nocaute ou finalização. Para sair de Orlando com o braço erguido e deixar de lado a fase inconstante, o lutador garantiu, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, que busca um "resultado dominante".

"Sou superior em todos os aspectos, mesmo se eu cair por baixo, me vejo superior. Ele é um cara bem duro. Acho que sou mais finalizador, acabo com mais lutas que ele. Tenho 12 vitórias na minha carreira e acabei com 11 das minhas lutas. Uma das minhas lutas foi por decisão. Se eu não me engano, dez ou nove das minhas vitórias foram no primeiro round", assegurou o atleta.

"Acabei com mais lutas do que ele, só tenho uma luta por decisão, todas as outras eu finalizei ou nocauteei. Tenho mais armas para acabar com essa luta. Quero finalizar ou nocautear, não quero deixar ir para as mãos dos juízes, não quero deixar a luta acabar. Se ela acabar, espero que seja de maneira dominante, com um 30 a 25 ou um 30 a 26, quero que seja assim. Uma vitória bastante dominante nessa luta, trabalhei para isso, treinei para isso".

Desde antes de sua última performance, o brasileiro se adaptou à uma nova rotina de treinos, já que a academia que costumava representar fechou. Em meio a uma série de mudanças, Durinho revelou que todo o processo foi normalizado e que já está adaptado ao novo treinamento - que inclusive conta com o mesmo head coach. Outra modificação significativa na sua vida profissional foi a troca de empresário. Antes, o lutador era agenciado pelo dono da Blackzilians e agora vê sua carreira gerida por Ali Abdel-Aziz, mesmo agente dos grandes nomes do UFC, como Khabib Nurmagomedov, Rafael dos Anjos e Fabrício Werdum.

Para o evento em Orlando, o atleta decidiu modificar o seu treinamento. Durinho mudou a sua preparação física e deu sequência com as sessões da psicóloga da Seleção Brasileira de Judô. De acordo com o peso-leve, a questão psicológica serve para organizar e ajustar detalhes em sua preparação, o que reflete diretamente em sua confiança no octógono.

"Não é na confiança em si, é na organização do meu treinamento. O que me ajuda são as técnicas que ela faz, ela tem várias técnicas. Por exemplo, escala de métodos, tem testes para ver minhas qualidades, são diversas técnicas que ela vem me passando e estou sentindo que vem me ajudando bastante com o treinamento. E eu vou sentindo que isso vai me passando confiança, não é que vou estar confiante no dia da luta, a confiança se conquista com o treinamento. Estou fazendo tudo no meu alcance possível e vai estar no dia da luta e vou estar confiante", finalizou o lutador.

MMA