PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Anderson Silva se defende de caso de doping: "Não sou burro"

Ag. Fight

21/02/2018 12h16

Em novembro passado, Anderson Silva foi afastado do UFC Xangai após ter testado positivo para esteroides. O atleta foi submetido a um exame surpresa da USADA e foi suspenso provisoriamente. Ainda esperando pelo seu julgamento, o brasileiro pode enfrentar uma punição dura por ser reincidente. Apesar disso, 'Spider' garantiu que não tem planos para se aposentar.

Aos 42 anos, Silva assegurou que foi vítima de uma suplementação contaminada, já que seria "burrice" usar esteroides no final da sua carreira. Em entrevista ao site 'TMZ Sports', o brasileiro garantiu que está confiante com a sua equipe de advogados e que ainda espera realizar uma superluta com o ex-boxeador Roy Jones Jr - que garantiu que abrirá mão da aposentadoria para enfrentar o ex-campeão dos médios (84 kg) do UFC.

"Estou esperando pela USADA e os meus advogados. Espero voltar em breve para lutar com Roy Jones. Estou esperando pela Comissão e pelos médicos, porque eles vão checar tudo. Talvez os suplementos que eu uso estavam contaminados, não sei. Não usaria esteroides, não sou burro. Sou velho, não estou começando a minha carreira, estou encerrando. Não vou me aposentar. Estou esperando, porque amo lutar. Isso é a minha vida. Estou esperando os meus advogados falarem com a USADA e eles terminarem todos os testes. Claro que não vou me aposentar. Vou lutar com Roy Jones, estou esperando por ele. Seria uma grande oportunidade, é o meu sonho", revelou o lutador.

Sem que haja uma data para o brasileiro ser julgado, Spider foi retirado do ranking oficial do UFC. Este é o segundo escândalo de doping envolvendo o lutador. Em 2015, Spider testou positivo para duas substâncias ilegais e foi suspenso por um ano.

Esporte