PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Ronaldo "Jacaré" diz que pensou em recusar luta no UFC: "Não estava 100%"

Ronaldo "Jacaré" Souza comemora vitória sobre Derek Brunson  - Streeter Lecka/Getty Images/AFP
Ronaldo "Jacaré" Souza comemora vitória sobre Derek Brunson Imagem: Streeter Lecka/Getty Images/AFP

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

20/02/2018 08h00

Na luta principal do UFC Charlotte - evento que aconteceu no último dia 27 de janeiro, na Carolina do Norte (EUA) -, Ronaldo "Jacaré' mostrou que voltou a estar apto a enfrentar os melhores da divisão dos médios (84 kg) ao nocautear Derek Brunson ainda no primeiro round. No entanto, antes de o confronto acontecer, o brasileiro esteve bem perto de não assinar o contrato por não se sentir saudável o suficiente para se apresentar no octógono.

Em 2017, depois de ser nocauteado por Robert Whittaker, Jacaré precisou ser submetido a uma cirurgia no ombro no que chamou de "lesão das lesões". Meses depoia recuperação com fisioterapia, a oferta para estar na luta principal de Charlotte apareceu quando o brasileiro ainda treinava para recuperar sua forma ideal, e isso o motivou a pedir um tempo extra ao evento antes de dar uma resposta definitiva sobre o duelo. Em entrevista exclusiva com a reportagem da Ag. Fight, o número dois do ranking revelou que, depois de muito pensar antes de assinar o contrato, ele subiu ao octógono sem estar 100% fisicamente.

"Há dez semanas, não conseguia correr dez minutos, corria só dois. Dez semanas antes da luta. Eu estava muito mal. Demorei a aceitar a luta, queria lutar em fevereiro, mas aceitei a luta. No final das contas, estava feliz em estar lutando. No final do meu camp, evoluí fisicamente, consegui chegar na luta bem. Não estava 100%, mas estava bem e estava feliz. Todos os meus treinadores achavam que era um espaço curto para essa luta. Gosto de lutar e comecei a sentir uma evolução maior. Pedi duas semanas para o UFC, para o UFC me dar duas semanas para ver se eu conseguia melhorar um pouco, e senti uma melhora. Meus treinadores sentiram uma melhora e confiaram no que eu queria", garantiu o atleta.

Com o duelo vencido de maneira convincente e após algum tempo para finalizar sua recuperação física, o brasileiro já muda seu discurso. De olho no cinturão, Jacaré, ao analisar os nomes que estão presentes no topo de sua divisão, garantiu que se estiver feliz e com a saúde em dia não tem como ser derrotado por qualquer adversário entre os pesos-médios.

"Se eu estiver feliz e estiver saudável, ninguém me ganha nessa categoria. E era assim, eu estava feliz e estava saudável, cheguei lá e fiz um bom trabalho, consegui nocautear. Ele falou bastante antes da luta, inclusive disse que tinha evoluído muito, que eu não tinha evoluído nada e estava a mesma coisa. Mas nem liguei para essa situação, simplesmente coloquei o foco na luta. Fiz um bom plano de luta e consegui executar com perfeição", provocou o número dois do ranking.

Apesar de esbanjar confiança, o lutador mostrou cautela para pensar no seu próximo adversário e revelar quando pretende retornar ao octógono. Com o atual campeão se recuperando de uma grave infecção e com Yoel Romero definido como o próximo desafiante ao cinturão, o brasileiro analisou que precisará "ser inteligente, não adianta nada eu querer lutar agora". Sem cravar uma data para voltar ao UFC, Jacaré garantiu que terá "que esperar e ver o que esses caras têm para mim", embora garante que lutar no dia 12 de maio, na cidade do Rio de Janeiro, seja uma boa ideia.

MMA