PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Jéssica "Bate-Estaca" promete nocautear Tecia Torres no UFC Orlando

Rey Del Rio/Getty Images
Imagem: Rey Del Rio/Getty Images

Lais Rechenioti, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

20/02/2018 06h00

Prestes a subir mais uma vez no octógono no UFC Orlando - evento marcado para este sábado (24), na Flórida (EUA) -, Jéssica "Bate-Estaca" se prepara para enfrentar a americana Tecia Torres, pela divisão peso-palha (52 kg). E mesmo conhecendo as habilidades da renomada adversária, atual número cinco do ranking oficial, a brasileira garantiu que está confiante com o seu treinamento e que será a primeira a nocautear a rival.

Com cinco centímetros a mais de envergadura, a atual número dois do ranking dos palhas apostou que essa será sua maior vantagem contra Torres, uma vez que ambas são fortes e assimilam bem golpes. Com isso em mente, Bate-Estaca revelou, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, que usará sua altura para driblar o "queixo duro" da americana, conhecida como o 'Pequeno Tornado'.

"Acho que a minha altura ajuda muito, a velocidade também, sou uma lutadora muito rápida e tenho a mão muito pesada. Acho que a força também vai fazer a diferença, ela aguenta muita porrada, mas também aguento. Pode ser que eu consiga frustrá-la nesse quesito dela me bater, eu não sentir e continuar caminhando para cima. Acho que vai ser uma luta muito parelha, mas a minha vantagem mesmo é eu ter uma envergadura maior que a dela", analisou a lutadora.

"Vou tentar o tempo inteiro buscar um nocaute, nem que seja no primeiro ou no segundo round. Se eu não conseguir, então a minha estratégia é colocar para baixo e tentar no ground and pound ou uma finalização. Mas eu chutaria o segundo round, um nocaute no segundo round. Vou dar o meu máximo para conseguir nocautear, mas sei que a Tecia é muito dura, tem o queixo muito duro. Se não conseguir, não vou me frustrar, porque já preparei o meu psicológico para entender que ela realmente aguenta muita pancada".

Em abril, Rose Namajunas e Joanna Jedrzejczyk farão uma revanche válida pelo cinturão da categoria. Apesar de ter perdido a sua oportunidade de se tornar a campeã da divisão quando enfrentou a polonesa em maio de 2017, a atleta projetou quando terá uma nova chance para disputar o título - independentemente de quem vencer no UFC 223.

"Vencendo essa luta, talvez o UFC queira me dar mais uma adversária. E vencendo, com certeza o UFC vai me dar essa oportunidade. Vou estar com três vitórias seguidas, se Deus quiser, e aí o UFC vai me dar essa oportunidade. Mas tudo depende de como vai ser a minha vitória, como eu vou me sair. Costumo ficar bem focada em subir um degrau de cada vez. Quando tentei subir um degrau a mais, perdi a luta e tive que recomeçar tudo de novo. Então, é um passo de cada vez que vai dar tudo certo", planejou a atual número dois do ranking.

Concentrada na chance de deixar o octógono com a sua mão erguida, a brasileira já sabe onde irá comemorar a sua atuação em Orlando. Pela primeira vez na cidade, Bate-Estaca garantiu que está "muito feliz de lutar lá" e faz planos para "quem sabe com a vitória a gente não vai para a Disney, conhecer o Mickey".

MMA