PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Acusado de agredir noiva, brasileiro demitido pelo Bellator pede emprego

20/02/2018 18h04

Em dezembro do ano passado, o ex-lutador do Bellator Marlon Sandro foi acusado de agressão por sua noiva e imediatamente desligado da academia Nova União após imagens de Tayssa Madeira com hematomas no rosto circularem na internet. Passados dois meses, o veterano pede por uma chance de recomeçar.

Por meio de suas contas em redes sociais, Marlon reconheceu que errou, mas garantiu que merece uma chance de recomeçar, e para isso pediu oportunidades no mundo da luta. Braço direito de Dedé Pederneiras por anos, o veterano carrega como currículo o comando dos treinamentos de feras do calibre de José Aldo, Renan 'Barão', Claudia Gadelha entre outros.

Ainda com o pedido, Marlon garantiu que não está impedido de viajar para fora do país, que parou de consumir bebidas alcoólicas e que ingressou na igreja. O pedido foi feito em vídeo nesta terça-feira (20). 

"Sei que tive meu momento de erro, estou trabalhando para melhorar e ser um novo homem. Larguei o álcool, isso foi uma das coisas que me fez errar e perder a cabeça. Cada pessoa tem sua crença e eu não os critico, cada um procura seu equilíbrio espiritual, e eu à igreja. Moro no morro, poderia estar no crime me drogando, mas ao contrário disso quero ser um ser humano melhor. Sei que posso ser melhor do que eu fui. Querem me julgar tudo bem, eu aceito todos os julgamentos, mas o que preferem? Que eu me entregue às drogas, ao mundo? Ou que tente consertar o que fiz de errado ? Se você estivessem no meu lugar o que fariam? A Justiça já está sendo feita no tribunal. Só essa chance que peço a todos e aos eventos e organizações".

MMA