PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Sem apelo, UFC Austin coloca carreira de Donald Cerrone em xeque

Donald Cerrone celebra após derrotar Rick Story no UFC 202 - Steve Marcus/Getty Images/AFP
Donald Cerrone celebra após derrotar Rick Story no UFC 202 Imagem: Steve Marcus/Getty Images/AFP

Ag. Fight

18/02/2018 06h00

Programado para este domingo (18), o card do UFC Austin não garante todas as atenções dos fãs de MMA. Sem apelo, o evento pode até passar despercebido pela maioria dos torcedores, mas uma luta em especial interessa para todos os competidores das divisões dos leves (70 kg) e meio-médios (77 kg).

Estrela principal da noite, Donald Cerrone perdeu as três últimas lutas e vive o pior momento de sua carreira. Aos 34 anos e com 43 lutas de MMA no currículo (32 vitórias, dez derrotas e um 'No Contest'), além de 28 combates de kickboxing, o americano dá brechas para questionamentos sobre sua motivação para seguir sua carreira.

Avariado após constantes apresentações, o 'Caubói' terá pela frente Yancy Medeiros, que venceu as três lutas que fez desde que retornou para a divisão dos meio-médios. Aos 30 anos e empolgado como nunca antes, o havaiano se tornou uma das grandes apostas da divisão.

Enquanto de um lado um atleta vive um momento único e parece pronto para pular da posição de número 15 para o top 10 da categoria, Cerrone, atual 11º da lista, vive situação inversa. Com a carreira em xeque neste domingo, o americano pode sacramentar de vez o apelo midiático que o levou a figurar entre os tops de duas divisões. Caso perca novamente, um retorno aos leves parece iminente, ou até mesmo uma forçada aposentadoria.

MMA