PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Aldo cita Anderson Silva e diz ter cuidado com doping: "mancha a carreira"

Anderson Silva e José Aldo no UFC 200 - Jeff Bottari/Zuffa LLC
Anderson Silva e José Aldo no UFC 200 Imagem: Jeff Bottari/Zuffa LLC

Felipe Castello Branco, no Rio de Janeiro (RJ)

Ag. Fight

21/11/2017 08h00

 

Desde que o Ultimate iniciou a sua parceria com a USADA (agência americana de controle antidopagem) em 2015, os flagrantes em exames antidoping no UFC estão cada vez mais frequentes. Nos últimos três meses, três grandes nomes brasileiros do esporte foram pegos nos testes: Júnior "Cigano", Rogério "Minotouro" e Anderson Silva. E uma situação dessas pode manchar a carreira de um grande ídolo. Pelo menos essa é a opinião de ninguém menos que José Aldo, ex-campeão peso-pena (66 kg) do maior torneio de MMA do mundo.

Sem nunca ter tido seu nome envolvido em qualquer problema com doping, Aldo deixou claro que toma bastante cuidado com toda a sua suplementação para não ingerir alguma substância proibida. Na opinião do brasileiro, uma situação como essa pode causar danos irreversíveis para a carreira de qualquer um.

"Tomo bastante cuidado. Isso suja toda uma carreira. Muitos fãs e jornalistas falam que o Anderson não foi campeão, que foi porque sempre foi um cara dopado. Isso mancha bastante. Então tomo todas as precauções e faço como tem que ser feito. Eu mando e-mail para USADA para eles liberarem o que estou tomando", contou durante uma conversa com jornalistas na academia Nova União, no Rio de Janeiro.

De acordo com o Aldo, até o 'Spider' - considerado um dos melhores lutadores de todos os tempos - pode ter sua imagem manchada após o flagrante. Afinal de contas, essa não é a primeira vez que o ex-campeão dos médios (84 kg) é pego no doping.

"Querendo ou não reduz bastante. Ele é um ídolo para nós. Para os fãs, sendo que ele foi pego duas vezes, acho que pode condenar e sujar a carreira dele, que, para mim, foi uma das melhores", opinou.

Apesar de apontar que o segundo doping do 'Spider' pode manchar a carreira do ídolo, Aldo fez questão de defender o brasileiro - assim como Cigano e Minotouro. Para o "Campeão do Povo", em algumas situações torna-se difícil para o atleta saber a lista das substâncias proibidas pela USADA.

"Do Anderson é difícil falar se é ou não é. Ele é uma referência no esporte, um ídolo, para mim e para os amantes do MMA. Eu não posso falar muito porque não conheço. Mas o Cigano eu sei. Ele tem a mesma médica que eu e não creio que tenha como ter tomado algo para melhorar seu desempenho. Ele está muito mais inocente do que culpado. mas temos que esperar. O Minotouro não sei. Os lutadores às vezes ainda pecam bastante e querem se medicar sem consultar um médico. Além disso, a USADA muda muito os componentes que são doping. Isso acontece", declarou.

Após perder o cinturão dos penas para Max Holloway em junho passado, Aldo terá a chance de reconquistar o título no próximo dia 2 de dezembro, quando enfrentará o havaiano no UFC 218. Aos 31 anos de idade, o brasileiro coleciona na carreira um cartel com 26 vitórias e três derrotas.

MMA