PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Mark Hunt responde Dana White: "Não sabe lidar com a verdade"

Ag. Fight

31/10/2017 16h34

A novela protagonizada por Mark Hunt e o UFC ganhou mais um capítulo. Depois que a organização o retirou do evento que acontecerá na Austrália, no próximo dia 18 de novembro, em Sydney, ao alegar que o atleta estava com problemas de saúde, o neozelandês foi a público para xingar Dana White e garantiu que passou em todos os exames médicos pedidos. Agora, o peso-pesado respondeu a carta escrita por Dana White e afirmou que o cartola faltou com a verdade.

No pronunciamento de White, o presidente do UFC escreveu que Hunt se recusou a aceitar o tratamento médico oferecido pela organização em Las Vegas (EUA), depois que o atleta afirmou que estava apresentando sintomas de problemas cerebrais, ao gaguejar e não se lembrar do dia anterior. Todavia, em entrevista para o programa 'MMA Hour', o neozelandês disse que fez todos os exames pedidos pelo cartola, só que na Austrália.

"Eu fiz todos os exames na Austrália e mesmo assim me tiraram do card. Eles não levaram em consideração os resultados dos médicos, não deram importância para os relatórios. Por que eu precisaria voar para Las Vegas para isso?", questionou o atleta.

O lutador já havia dito que o verdadeiro motivo para ser retirado do evento é um processo judicial que está aplicando contra a organização. Mas na carta escrita por White, o cartola afirmou que não guarda nenhum rancor do neozelandês e que a prova disso é o fato de que o atleta recebeu bônus na última vez que esteve no octógono, em junho deste ano, e havia sido escalado para a luta principal do UFC Austrália.

"Eu trabalhei para esse dinheiro, você não me pagou nada, eu mereci. Eles não gostam de pessoas que falam a verdade. Não sabem lidar com a m*** da verdade. Eu ainda tenho mais três lutas para fazer, ou eles me pagam esses confrontos ou me deixam lutar", atacou o peso-pesado.

Hunt ainda está disposto a estrelar a luta principal do evento, mesmo que para isso precise realizar novos exames. O atleta garantiu que se o UFC disser o que ele precisa fazer para estar no octógono no próximo dia 18, ele fará o necessário para estar apto a enfrentar Marcin Tybura, adversário do substituto do neozelandês até então, Fabrício Werdum.

"O quanto antes descobrirmos qual o problema, poderemos resolver. Estou disposto a fazer mais testes, é só me dizer o que preciso fazer. Eles não falam o que está errado comigo, apenas me retiraram do evento", lamentou o lutador.

"Se tiverem questões que eles querem que eu resolva para competir, tudo bem, eu faço. Eu preciso fazer essas lutas e seguir em frente. Ainda estou esperando para que eles me digam o que querem que eu faça. Preciso saber o que eles querem que eu resolva".

A última vez que Hunt subiu no octógono no último mês de junho, quando nocauteou o americano Derrick Lewis e garantiu o bônus de luta da noite. O peso-pesado estreou na organização em 2010 e chegou a disputar o cinturão interino da sua categoria. Dos 15 confrontos que tem no octógono, o neozelandês venceu em oito.

Esporte