PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Sem Messi, Barça busca substituto à altura em semana decisiva

Messi grita de dor ao machucar o braço direito no jogo entre Barcelona e Sevilla - REUTERS/Albert Gea
Messi grita de dor ao machucar o braço direito no jogo entre Barcelona e Sevilla Imagem: REUTERS/Albert Gea

23/10/2018 13h37

Sem poder contar com Lionel Messi até meados de novembro, o Barcelona confia que seus outros atacantes possam substituir o argentino à altura em uma semana decisiva, que conta com duelos contra Inter de Milão, na Liga dos Campeões, e Real Madrid no Campeonato Espanhol.

A fratura do braço direito sofrida no sábado, na vitória sobre o Sevilla (4 a 2), é a primeira lesão grave do argentino nos últimos dois anos. O craque ficará pelo menos três semanas fora dos gramados.

Em 2016, o Barcelona tinha Neymar para assumir o protagonismo, mas em 2018 o técnico Ernesto Valverde tem situação mais complicada sem seu capitão.

Messi tem 12 gols e seis assistências em 12 jogos oficiais, sem contar as muitas vezes que acertou a trave. "Claro que vamos notar a falta de Messi, sabemos disso e assumimos", avaliou Valverde após o final da partida contra os portugueses.

O treinador aposta em outros pesos pesado do elenco para tentar assumir o papel decisivo enquanto o craque argentino não volta.

Coutinho, o chutador

Perigoso por seus dribles e chutes de longa distância, Philippe Coutinho está em grande forma no Barça nesta época do ano. O jogador brasileiro marcou três gols e deu uma assistência nos últimos cinco jogos com a camisa azul-grená.

Assim como seu compatriota Rafinha, Philippe Coutinho tem passagem com as cores da Inter de Milão (2010-2013). Mas o meia nunca chegou a se impor no futebol italiano, sendo vendido ao Liverpool para se tornar um jogador de classe mundial.

Foi no futebol inglês que Coutinho chamou a atenção do Barcelona, que investiu 160 milhões de euros para contratá-lo. O brasileiro pode ter uma chance de se vingar indiretamente por seu mau desempenho em Milão.

O vencedor do duelo entre catalães e italianos vai decidir a liderança do grupo B antes do jogo de volta no início de novembro.

Luis Suárez, o indomável

Aos 31 anos, Luis Suárez parece menos decisivo que na temporada 2015-2016, quando terminou como artilheiro do Campeonato Espanhol com 40 gols. Além disso, o uruguaio recentemente sofreu problemas no joelho que o obrigaram a fazer trabalho de reforço na região em outubro.

No entanto, 'Pistoleiro' segue demonstrando raça em campo. Contra o Sevilla, o atacante balançou as redes e deu assistência, mostrando-se uma alternativa para compensar os gols marcados por Messi.

"É um jogador de trabalho, sempre regular, sempre briga e está aí. Sabemos o que nos transmite e o que transmite aos adversários", defendeu Valverde.

Dembélé, o imprevisível

Ousmane Dembélé, por outro lado, pode tentar compensar a criatividade de Messi se demonstrar mais regularidade.

Após bom início de temporada, o jovem campeão da Copa do Mundo 2018 caiu de rendimento há um mês. Contra o Sevilla, Dembélé decepcionou perdendo a bola e tomando decisões ofensivas ruins.

Ainda assim, Valverde conta com o francês para dinamitar defesas mais compactas e pensa em iniciar o duelo contra a Inter de Milão com o jogador.

"É um jogador que tem muito pela frente, esperamos muito dele e sabemos que tem muita capacidade de melhorar", disse o técnico catalão neste final de semana.

Esporte