PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após polêmica, diretor de Roland Garros defende código de vestimenta

Serena Williams e o polêmico traje Pantera Negra - CHRISTOPHE SIMON/AFP
Serena Williams e o polêmico traje Pantera Negra Imagem: CHRISTOPHE SIMON/AFP

28/08/2018 16h54

Paris, 28 Ago 2018 (AFP) - O diretor de Roland Garros, Guy Forget, anunciou nesta terça-feira (28) ao diário esportivo "L'Équipe" o desejo de implementar um código de vestimenta "muito mais flexível que em Wimbledon", mas com a ideia de instaurar uma certa elegância e de criar "um estilo Roland Garros".

Sobre a decisão de proibir para o ano que vem o polêmico traje preto e colado ao corpo de Serena Williams, Forget saudou a tranquilidade com que a americana aceitou a recomendação.

"Com as redes sociais, tudo se torna viral (...) Serena foi muito bem ao apaziguar este início de polêmica", elogiou o dirigente do Grand  Slam de Paris.

Questionado sobre a vontade de criar um código de vestimenta para o torneio, Forget respondeu: "exatamente, é esse o caminho que exploramos", explicando que "será muito mais flexível do que o de Wimbledon", onde os tenistas são obrigados a usar um uniforme inteiramente branco.

"O regulamente atual dá brecha para todas as fantasias (...) Não há limite. Muitos acreditam que alguns jogadores vão longe demais. Por que não conciliar a elegância sem colocar de lado a criatividade dos estilistas? Este é o caminho pelo qual estou comprometido", continuou.

Forget espera que as novas regras sobre a vestimenta dos tenistas entrem em vigor antes de 2021, quando será inaugurado o novo estádio de Roland Garros.

Esporte