PUBLICIDADE
Topo

Esporte

França se pergunta como parar Lionel Messi

29/06/2018 10h11

Bronnitsy, Rússia, 29 Jun 2018 (AFP) - Às vésperas de enfrentar a Argentina nas oitavas de final, toda França se pergunta a mesma coisa: como parar Lionel Messi? O craque chega com ânimo renovado após marcar seu primeiro gol na Copa do Mundo e renascer das próprias cinzas.

"Contra Messi, precisaremos jogar com inteligência. Se vai para o meio do campo, temos um jogador que não se deixa superar facilmente em N'Golo Kanté. Do lado direito (de Messi), está (Lucas) Hernández, que conhece bem o campeonato espanhol", garante à AFP o ex-jogador dos Bleus, Marius Trésor.

Messi é um "cara que gosta de se movimentar, é preciso tentar estar pendente dele", acrescenta o meia Blaise Matuidi.

Islândia e Croácia mostraram o caminho de como frear o astro do Barcelona. A bicampeã empatou em 1 a 1 na estreia contra os nórdicos, partida que teve pênalti perdido de Messi, enquanto os balcânicos atropelaram com vitória por 3 a 0.

Mas esses jogos ficaram no passado. Após a vitória por 2 a 1 contra a Nigéria, que valeu a classificação às oitavas, os sul-americanos recuperaram a moral e têm contra a França a oportunidade de recuperar o respeito.

- Muro defensivo -O centro de zaga francesa conhece bem Messi, que se for capaz de superar e primeira linha de pressão no meio de campo se encontraria com o madridista Raphael Varane e seu companheiro de Barça, Samuel Umtiti.

"Deve servir para alguma coisa conhecê-lo bem, saber como se movimenta. Mas tento fazer isso há dois anos e nos treinos às vezes fica muito complicado", diz Umtiti entre risadas em coletiva de imprensa.

"Ele tem um talento extraordinário e inclusive se estudarmos seu jogo ele pode nos criar dificuldades", acrescentou.

Para Umtiti, o astro do Barcelona "não vive o futebol como nós, em suas escolhas, sua visão de jogo, nos gols que marca. Ele marca, marca e marca. Tem um toque técnico que ninguém mais tem", avaliou o companheiro de equipe.

O ex-zagueiro do Lyon se colocará no lado esquerdo da defesa francesa, sendo o último muro de contenção de um time que utilizará todas suas armas para frear o argentino.

"Não acho que exista ninguém na Terra que possa encontrar um remédio para parar Messi. Será algo mais coletivo", resumiu na quarta-feira Presnel Kimpembe.

Argentina e França só se enfrentaram duas vezes na história das Copas do Mundo. E Messi ainda não havia nascido.

As estatísticas estão do lado argentino, que venceu por 1 a 0 na Copa do Mundo do Uruguai-1930 e saiu vitorioso jogando em casa em 1978, vencendo por 2 a 1.

Agora, nas oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia-2018, um dos favoritos ao título dirá adeus antes do tempo. Mas a um dia do duelo só existe tempo para uma pergunta: como para Lionel Messi?

ybl-adc-prz/psr/fa

Esporte