PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Certificado médico pode dar direito a fumar maconha nos estádios da Copa

26/04/2018 16h40

Moscou, 26 Abr 2018 (AFP) - Assistir a uma partida da seleção consumindo drogas como maconha, cocaína ou heroína será possível na Copa do Mundo da Rússia-2018 caso o espectador apresente um certificado médico.

Com a aproximação da Copa (14 de junho-15 de julho), esta autorização, nascida de uma lei em vigor e revelada em fevereiro pelo jornal russo Izvestia, voltou a ganhar notoriedade.

Para estar dentro da legalidade, o consumidor deverá apresentar um certificado médico traduzido e certificado em russo.

Esta lei de 2014 agrupa cinco países da antiga União Soviética (Rússia, Belarus, Cazaquistão, Armênia, Quirguistão) numa União Econômica Euroasiática (UEE) para estabelecer normas conjuntas sobre diferentes temas, como no uso de medicamentos.

A lei autoriza aos turistas que visitam um destes cinco países a transportar "narcóticos, drogas alucinógenas e outras substâncias duras" em quantidades limitadas.

No total, 383 produtos são autorizados pela UEE. A Fifa, porém, proíbe fumar nos estádios.

A lei preocupa o comitê organizador da Copa do Mundo, que afirmou que os agentes de segurança realizarão um controle na entrada dos estádios para garantir que nenhuma substância ilícita seja introduzida, a não ser que esta tenha receita médica.

Tomar uma cerveja poderia dar mais dor de cabeça ao torcedores do que fumar maconha.

Isso porque o governo russo anunciou que as "bebidas alcoólicas e refrescantes" vendidas em garrafas de vidro serão proibidas nos arredores dos estádios e nas tradicionais 'fan zones' de Moscou.

Esta nova regra deverá ser estendida para as outras dez cidades que sediarão jogos no Mundial russo.

Esporte