Rayssa Leal brilha e conquista SLS Super Crown com nota inédita na carreira

Com o apoio da torcida, Rayssa Leal conquistou hoje (3) o bicampeonato do Super Crown da Street League de Skate (SLS) 2023, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

O que aconteceu

A brasileira foi muito bem em suas duas primeiras voltas, registrando um 8,1 e 9 (a primeira de Rayssa no critério da SLS), que foram muito aplaudidas e lhe deram uma boa vantagem.

Na segunda parte da prova, ela abriu mão de manobras mais conservadoras no fim e conseguiu um 8 e um 8,5, além de um 6,4, totalizando 31,9.

Rayssa foi a última a competir, já que a ordem da prova é inversa à da classificação. Na hora da última manobra, "Fadinha" já entrou na pista campeã sob fortes aplausos da torcida, e apesar de ter caído, a emoção da conquista do bi já havia preenchido o ambiente.

O público do Ibirapuera vibrou muito quando o telão mostrou o "9 club" da brasileira. Rayssa se mostrou surpresa com a nota e se emocionou.

"Eu nunca tinha conseguido o 9 na Street League. Então, pra mim, conseguir isso no Brasil foi algo surreal. A gente estava fazendo a estratégia ontem à noite e eu tinha falado pra minha mãe que eu só queria o meu 9". Rayssa Leal

A japonesa Momiji Nishyia conquistou o segundo lugar, enquanto a norte-americana Paige Heyn ficou em terceiro, completando o pódio na capital paulista.

Favorita ao lado de Rayssa, Chloe Covell, que foi campeã de duas etapas da SLS neste ano, ficou na última colocação, após cair algumas vezes.

Continua após a publicidade

A nota 9 de Rayssa Leal foi apenas a segunda na temporada da SLS. A japonesa simpática que conquistou os brasileiros, Aoi Uemura, havia conseguido um 9,4 na etapa de Jacksonville (EUA), em julho. A diferença é que a brasileira conseguiu a nota em uma volta de 45 segundos, enquanto a nipônica fez a nota em apenas uma manobra.

Hegemonia brasileira e outras notas 9

O título de Rayssa confirmou a hegemonia brasileira na competição. Este foi o quarto título seguido do país no torneio. Pamela Rosa foi campeã em 2019 e 2021, e Rayssa levou o troféu em 2022.

Duas atletas já conseguiram a nota 9 em território brasileiro antes. No começo de 2019, ainda pelo Mundial de 2018, no Rio, Leticia Bufoni e Aori Nishimura conseguiram cravar a nota 9. As notas variam entre 0 e 10 e as atletas que atingem o 9 entram no chamado "9 club".

Classificação final

  • 1º lugar: Rayssa Leal (BRA) - 31.9
  • 2º lugar: Nishiya Momiji (JPN) - 30.6
  • 3º lugar: Paige Heyn (EUA) - 28.8
  • 4º lugar: Uemura Aoi (JPN) - 27.9
  • 5º lugar: Oda Yumeka (JPN) - 20.7
  • 6º lugar: Chloe Covell (AUS) - 20.4

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes