Skate: Pista do Super Crown é inspirada no Anhangabaú e vai para reciclagem

A pista de skate do Street League Skateboarding (SLS) São Paulo tem elementos inspirados no Vale do Anhangabaú e levou menos de uma semana para ser construída no Ginásio do Ibirapuera.

Inspiração na cidade

Daniel Oristanio é o arquiteto responsável pela pista do Super Crown e contou ao UOL, durante o evento, que se inspirou em São Paulo e fez uma releitura de elementos da cidade para construir o projeto

A gente se inspirou em obstáculos de rua, daqui da cidade de São Paulo, especialmente as bordas e as escadas do Vale do Anhangabaú Daniel Oristanio

Não existem regras para a elaboração do projeto, mas Daniel explica que eles tentam ao máximo fazer uma pista democrática, que seja boa para quem é goofy (pé direito à frente) ou regular (pé esquerdo à frente).

"A pista sendo mais ou menos espelhada, que é o que a gente tenta fazer aqui, é justamente para possibilitar que todos consigam fazer a manobra de uma maneira igual vindo de qualquer lado."

Pista de Skate do Super Crown SLS São Paulo
Pista de Skate do Super Crown SLS São Paulo Imagem: Júlia Castanha/UOL

Montagem rápida e equipe preparada

Para a montagem da pista no Ginásio do Ibirapuera, foram necessários seis dias com uma equipe de 14 pessoas. Na quarta-feira à noite, a obra já estava concluída, com retoques da pintura no dia seguinte. Tudo pronto para que na sexta os competidores pudessem realizar o primeiro treino.

Segundo Daniel, todas as pessoas envolvidas nas etapas de execução da pista andam de skate há bastante tempo, o que permite que eles tenham conhecimento do que funciona na modalidade, mesmo que "não tenham o nível de skate dessa galera", brinca.

Continua após a publicidade
Pista do Super Crown foi inspirada no Anhangabaú
Pista do Super Crown foi inspirada no Anhangabaú Imagem: Júlia Castanha

O custo com a pista do Super Crown São Paulo foi de cerca de R$ 1 milhão. As pistas do SLS são todas feitas por uma empresa californiana, independentemente do país em que o torneio acontece. Daniel trabalha na Insane Ramps, parceira da empresa norte-americana. Eles são responsáveis por projeto, construção e gerenciamento de obras.

Reciclagem

Cerca de 70% dos materiais utilizados na pista tem uma segunda vida útil. Por exemplo, o concreto que compõe boa parte da pista é reciclado para ser reutilizado para fazer bloco, calçamento e obra de infraestrutura.

A ideia para os obstáculos pontuais, como corrimão, é doar para alguma instituição que vá utilizar em uma pista de skate.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes