Time universitário norte-americano usará capacete com ar-condicionado

Uma das grandes novidades tecnológicas no esporte vem dos Estados Unidos, com seu esporte mais popular, o futebol americano. A universidade da LSU, que iniciará sua temporada neste domingo (3), diante da Florida State, às 20h30 (de Brasília), lançou capacetes que contam com ar-condicionado, regulando a temperatura do equipamento de acordo com os atletas.

O departamento de inovação e tecnologia da própria faculdade desenvolveu o projeto, chamado de "Cyclone v2", que passou por melhorias nos últimos três anos, até ser liberado para a equipe utilizar nesta temporada. O item conta com bateria que dura até cinco horas, sendo que as partidas costumam ter duração de duas horas e trinta minutos, e terá vida útil de quatro anos.

"É um sentimento maravilhoso. Se eu correr com isso, não vou nem suar. É muito fresco aqui dentro", relata Mac Markway, que joga de tight end para os Tigres de Luisiana. "Meu Deus, eu preciso disso. Quanto dura isso? Cinco horas? Incrível", completou o defensive tackle Mekhi Wingo.

Outra grande novidade que vem para mudar o esporte é a jaqueta "Nike Run Division Aerogami", que regula a temperatura corporal. O modelo conta com um sistema de ventilação que abre pequenas aberturas nas regiões das costas e do peito, na medida em que o suor se acumula na pele, independentemente dos movimentos dos atletas. A ventilação é colocada em áreas diferentes nas versões masculina e feminina, conforme as necessidades de cada gênero.

As aberturas permitem um melhor fluxo de ar e a saída do suor, e fecham-se quando o corpo esfria e o suor seca. Essa propriedade é garantida por um filme aplicado nas aberturas e que reage à umidade, tendo a capacidade de se contrair ou expandir ao sentir o suor contra o corpo.

"Nos últimos anos podemos observar a ascensão de grandes avanços tecnológicos e de diversas novas ferramentas, presentes nas mais variadas áreas da sociedade. E os esportes, obviamente, não iriam ficar para trás. A tendência é que, cada vez mais, surjam novos equipamentos e novas tecnologias, que são extremamente bem-vindas, uma vez que, quando implementados de maneira eficaz, contribuem positivamente tanto para o desempenho e rendimento dos atletas, quanto para a qualidade do espetáculo como um todo", avalia o cofundador e head de inovação do Arena HUB, Fernando Patara.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes