PUBLICIDADE
Topo

Futebol feminino

Técnico é acusado de assédio sexual por atletas de time de futsal feminino

Reginaldo Valdir Vieira foi denunciado por abuso e importunação sexual - Reprodução
Reginaldo Valdir Vieira foi denunciado por abuso e importunação sexual Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo (SP)

03/07/2022 14h01

Reginaldo Valdir Vieira, ex-técnico e dirigente do Sanrosé, time de futsal feminino de Santa Catarina, foi indiciado pela Polícia Civil do estado por abuso sexual e importunação sexual. A informação foi divulgada pelo programa Esporte Espetacular, transmitido pela TV Globo neste domingo (3).

A investigação do caso durou cerca de três meses e contou com o depoimento de 12 mulheres, incluindo vítimas e testemunhas. De acordo com os relatos, os abusos aconteciam em uma casa onde as atletas moravam, que ficava no mesmo terreno da residência do treinador.

Grande parte das atletas do Sanrosé vinham de outras cidades e se instalavam em uma casa oferecida por Reginaldo. Segundo a reportagem, a Fundação de Esportes da cidade de São José ajudava no financiamento da equipe, mas o projeto não incluía uma residência para as jogadoras. Desde as denúncias, os repasses feitos pelo órgão à equipe, que vinham desde 2014, foram cancelados.

Os assédios por parte de Reginaldo partiam desde falas sobre o corpo das atletas, bem como em contatos físicos. Ao participar da reportagem veiculada no Esporte Espetacular, a delegada Marcela França Goto revelou detalhes das falas do ex-treinador direcionada às atletas das quais se importunava.

"Como tinha essa confiança, ele se dirigia até a casa atleta de madrugada, retirava uma dessas adolescentes, levava até a casa dele, que é do lado da casa atleta, e as outras adolescentes dizem que escutaram barulho de cama e que acreditam que eles estavam mantendo relação sexual. Uma das coisas do perfil do suspeito que é muito cruel é que após ele ter importunado essas adolescentes ele fala o seguinte: ''não conta para ninguém, porque ninguém vai acreditar em ti, tu não tens família, tu estás totalmente dependente''', disse a delegada.

Após as denúncias feitas pelas atletas à prefeitura, os treinos foram suspensos e o treinador afastado do cargo. As atividades da equipe foram encerradas em novembro, quando o time acabou por ser desfeito. A denúncia contra o treinador passou no último mês pelo Ministério Público e agora está no Tribunal de Justiça. Na época dos abusos, as atletas eram menores de idade, mas hoje quase todas já possuem 18 anos ou mais, com apenas a exceção de uma, mas que já é emancipada.

Futebol feminino