PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Fábio Seixas: "Mercedes errou, mas se redimiu de modo brilhante na Hungria"

Do UOL, em São Paulo

01/08/2021 15h18

Era para ser uma corrida desastrosa para a Mercedes, mas a equipe se recuperou no GP da Hungria neste domingo (1º). A escuderia quase colocou a prova de Lewis Hamilton em risco ao não trocar os pneus do carro do inglês na relargada, mas se recuperou com uma estratégia que permitiu ao seu piloto ter forças para chegar em terceiro - e que se transformou em segundo após a desclassificação de Sebastian Vettel.

No Fim de Papo F1, live pós-corrida do UOL Esporte - com os jornalistas Fábio Seixas e Flavio Gomes - a volta por cima da Mercedes na corrida em Hungaroring foi um dos temas abordados pelos colunistas.

O equívoco da Mercedes aconteceu na relargada da prova e gerou uma cena inusitada. Hamilton foi o único que não parou nos boxes para trocar os pneus intermediários (a pista estava molhada quando houve a primeira largada) para os de pista seca e alinhou sozinho no grid. Uma volta após o reinício da prova, ele fez seu pit stop e caiu para a última posição.

"As coisas deram certo para o Hamilton porque, depois da burrada da Mercedes de não o chamar para trocar pneu na relargada, ela foi muito bem depois na estratégia. A Mercedes errou, mas se redimiu de forma brilhante na prova", comentou Seixas.

Para ele, o plano da escuderia após a falha na relargada foi fundamental para Hamilton ter condições de chegar ao pódio. "Primeiro, chamou o Hamilton para colocar pneus duros antes de todo mundo. Nisso ele já ganhou as posições do Verstappen e do Ricciardo. No final da prova, quando viram que o Hamilton não ia ter pneu para segurar o Alonso, foi muito louco o que a Mercedes fez. Chamaram o Hamilton para os boxes, colocaram pneu novo e ele passou de perseguido para perseguidor. Ele voltou atrás do Alonso com pneu mais macio e mais novo. Passou o Alonso, o Sainz e foi para terceiro. ", explicou Seixas.

Flavio também destacou o empenho do inglês, que terminou a prova exausto. "A corrida do Hamilton foi espetacular. A estratégia da Mercedes para consertar o que havia feito foi igualmente espetacular. Você só consegue fazer isso dar certo com um piloto como o Hamilton que, além de tudo, estava com o carro inteiro. O Verstappen, coitado, teve esse problema de ir lá para trás, mas estava com o carro bastante danificado e não rendia", concluiu.

Não perca! A próxima edição do Fim de Papo F1 será em 29 de agosto, logo após o GP da Bélgica.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Fórmula 1