PUBLICIDADE
Topo

Histórico de Atleta: Terry Crews jogou na NFL antes de virar "pai do Chris"

Divulgação

Do UOL, em São Paulo

26/02/2021 04h00

Você gastou 2 centavos em internet para abrir esta página! Mas valeu a pena porque a história de Terry Crews, o Julius de "Todo Mundo Odeia o Chris", é bem surpreendente. Ele teve carreira no futebol americano e até jogou na NFL antes de virar ator, encantar Adam Sandler e fazer muito sucesso.

Continua depois da publicidade

Terry Alan Crews nasceu em 1968, no Michigan, Estados Unidos. Ainda criança desenvolveu gosto pelas artes e, assim, ganhou uma bolsa para estudar artes cênicas depois de terminar o ensino médio. Era o começo de uma longa carreira artística, mas havia uma bola oval no meio do caminho.

Além das habilidades artísticas, Terry também tinha habilidades atléticas. Foi somando ambas que ele ganhou outra bolsa, desta vez na Western Michigan University (WMU). Ele estudava artes na sala de aula, mas se destacava mesmo era no campo de futebol americano.

Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Jogando na linha de defesa dos WMU Broncos, Terry ganhou prêmios individuais e, em 1988, foi campeão de um torneio universitário importante (o Mid-American Conference). Foi o que o credenciou para buscar uma carreira profissional no esporte.

Continua depois da publicidade
WMU Athletics/GS Photo - WMU Athletics/GS Photo
Olha o Terry em ação aí! É o camisa 94, atrás de quem está com a bola
Imagem: WMU Athletics/GS Photo

Terry foi um dos últimos nomes chamados no Draft da NFL de 1991, escolhido pelo Los Angeles Rams apenas na 11ª rodada. Ele então precisou cruzar o país, saindo do estado natal para jogar na Costa Oeste dos EUA.

Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Na NFL, porém, Terry já não teve o mesmo sucesso que tinha como universitário. Por isso, jogou apenas seis jogos nos Rams, um time que em 1991 estava entre os piores da liga. Ele acabou dispensado e, dois anos depois, assinou com seu segundo time: o San Diego Chargers.

Nos Chargers, Terry viveu uma situação assustadora. Durante um jogo, ele se chocou com o capacete de um companheiro e sofreu uma concussão em campo. Veja o lance abaixo:

Continua depois da publicidade
Eu não tinha ideia de onde estava depois desta trombada. E joguei o resto do jogo inteiro... Deve ser por isso que sou tão maluco hoje."
Terry Crews

Não valeu muito a pena ficar batendo cabeça pelos Chargers, afinal, a passagem de Terry pelo time também foi curta. Desta vez foram dez partidas, mas não o suficiente para ter seu contrato renovado. Foi a segunda vez que ele foi liberado de uma equipe da NFL.

O que me chocou, e eu não estava preparado para isso, foi o quão antiéticas algumas pessoas podem ser na NFL. Claro, havia gente incrível, mas outras eram verdadeiras cobras."
Terry Crews

Sem espaço, Terry ficou um ano longe da NFL e só voltou a jogar futebol americano na Europa. Foi no Rhein Fire, um time alemão da cidade de Dusseldorf que disputava a (hoje extinta) World League of American Football (WLAF). A gente até procurou, mas não achou registros dele nessa época.

Continua depois da publicidade

A volta à NFL foi naquele ano mesmo, para o então Washington Redskins —hoje Washington Football. Neste time ele jogou mais (16 partidas), mas, mesmo, assim não teve futuro na liga. Aos 27 anos, ele ainda treinou com o Philadelphia Eagles em 1996, mas não foi aproveitado e se aposentou do esporte.

Fora dos campos, Terry decidiu voltar às artes e se mudou de novo para Los Angeles. O primeiro trabalho foi uma aparição em "Young Boys Inc.", um filme de 1998 que ele mesmo considera "horrível". Mas valeu a experiência pois, já em 2000, ele trabalhou com Arnold Schwarzenegger em "O Sexto Dia".

Divulgação - Divulgação
Aqui tem informação! Arnold e Terry fazem aniversário no mesmo dia: 30 de julho
Imagem: Divulgação
Continua depois da publicidade

Terry fez mais alguns trabalhos nos anos seguintes, incluindo participações em "CSI: Miami" e "Eu, a Patroa e as Crianças", mas o sucesso chegou mesmo no filme "As Branquelas", de 2004.

Foi com "As Branquelas" que Terry caiu nas graças do também ator Adam Sandler. Os dois já trabalhariam juntos em "Golpe Baixo", mas Adam viu potencial no colega e aumentou seu tempo na telona. Sabe quem também estava no filme? Chris Rock!

Chris Rock, você sabe, foi quem criou, escreveu e narrou "Todo Mundo Odeia o Chris" em que Terry Crews assume o papel de Julius —no caso, o pai do próprio Chris.

Continua depois da publicidade

Esporte

Esporte