PUBLICIDADE
Topo

Pan 2019

"Não tenho motivo pra ficar satisfeito", diz Zanetti após prata nas argolas

No pódio do Pan após prata nas argolas, Zanetti deixa evidente sua frustração  - Ricardo Bufolin/CBG
No pódio do Pan após prata nas argolas, Zanetti deixa evidente sua frustração Imagem: Ricardo Bufolin/CBG

Karla Torralba

Do UOL, em Lima (Peru)

30/07/2019 18h37

Na foto acima, o rosto de Arthur Zanetti com a medalha de prata no peito não deixava sombra de dúvidas de que aquela cor não era a desejada pelo brasileiro, uma estrela na disputa de argolas pela ginástica artística masculina. O campeão olímpico em Londres-2012 encerrou sua participação no Pan de Lima de forma amarga.

"Um dever foi cumprido, que era o dever da equipe, mas o dever pessoal não foi cumprido. Quando não cumpro o objetivo, não saio satisfeito e nem tenho motivo pra ficar satisfeito", comentou o ginasta após o pódio.

Soturno, Arthur Zanetti falou sobre como a medalha de ouro lhe escapou. Ele tirou 14,400 em sua apresentação, sendo superado pelo mexicano Fabián de Luna.

"A primeira parte da série foi muito boa. Aí foi chegando ao final, e estou com uma inflamação no ombro, e no cristo é quando mais sinto dor. Hoje acabei sentindo um pouquinho mais do que na classificatória. Quando fiz o giro, o pé acabou entrando um pouquinho. Consegui consertar, mas faltou força, e então não consegui voltar o giro. Deu uma carpada, e foi ali que cometi o erro da série", explicou.

Zanetti está lidando com uma inflamação no ombro direito. "Aconteceu nos treinos. Treino, treino, treino: acaba dando uma inflamada. É uma inflamação, tem que cuidar para estar no Mundial 100%. Agora é fazer fisio, tratar e seguir", disse.

A sensação de frustração também é de quem foi derrotado por ele mesmo com as falhas de execuções.

Zanetti não costuma ser derrotado por atletas que não estejam muito acima dele, ou seja, que façam muito acima dos 15,000. Como aconteceu no Pan de Guadalajara em 2011, por exemplo, quando ficou com a prata fazendo uma série nas argolas que rendeu 15,600 pontos; e no Rio-2016, ocasião que também acabou com a prata ao fazer 15,766.

A ginástica artística treina em 2019 totalmente focada no Mundial da modalidade, que será disputado me outubro e valerá vaga para a Olimpíada de Tóquio.

O Brasil ainda não encerrou a participação na ginástica do Pan de Lima, no entanto. Arthur Nory, Luis Porto, Caio Souza e Chico Barretto voltarão a competir amanhã (31) nas disputas individuais. O Brasil terá representantes no salto, barra fixa e barras paralelas.