Topo

Arthur Zanetti é superado nas argolas por mexicano e ganha a prata

Arthur Zanetti não conseguiu o ouro na final de argolas do Pan-2019 - Luis ROBAYO / AFP
Arthur Zanetti não conseguiu o ouro na final de argolas do Pan-2019 Imagem: Luis ROBAYO / AFP

Karla Torralba

Do UOL, em Lima (Peru)

30/07/2019 17h45

De todas as medalhas possíveis para a ginástica artística brasileira, aquela que era a mais esperada não veio. Atual campeão da competição, ouro nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, Arthur Zanetti acabou superado na final de argolas pelo Pan de Lima hoje (30). A grande estrela mundial do aparelho foi superada pelo mexicano Fabián de Luna por 0,100 pontos.

Na apresentação, o brasileiro escorregou na saída, dando uma leve desequilibrada, e não conseguiu cravar como de costume.

Depois de dois dias de resultados expressivos para o time masculino na capital peruana, Zanetti não conseguiu nem mesmo repetir a grande apresentação nas argolas que havia feito na competição coletiva, quando tirou 15,000 pontos. O ginasta, também medalhista de prata na Rio-2016, fez 14,400 hoje, contra 14,500 de Luna, que tem 22 anos.

O favorito conrariou, assim, o desempenho bastante positivo do Time Brasil até então. A equipe masculina já havia obtido o ouro. Depois, Caio Souza foi campeão no individual geral, seguido por Arthur Nory numa dobradinha histórica. Ainda nesta terça, Chico Barretto foi o primeiro colocado na final sobre o cavalo.

Também inscrito na competição, Caio ficou fora do pódio por muito pouco. O ginasta foi superado pelo argentino Federico Molinari. Apesar de terem tirado a mesma nota, 14,066, no critério de desempate, a execução, Molinari levou a melhor e ficou com o bronze.

Essa foi a segunda final do dia para Zanetti. Mais cedo, ele tentou a sorte na disputa em solo, que não é sua especialidade. Não foi bem e acabou na sétima posição, entre oito finalistas. Arthur Nory terminou em quarto. No solo, Zanetti teve nota 13,733, enquanto Nory, 13,966. O ouro foi para o chileno Enrique González, com 14,600. O norte-americano Robert Neff, com 14,166, e o colombiano Andrés Martínez, com 14,100, completaram o pódio.