PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Cielo desabafa por apoio financeiro: "A CBDA me aposentou, mas eu não"

Satiro Sodré/SSPress/CBDA
Imagem: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Do UOL, em São Paulo

11/03/2019 15h06

Cesar Cielo é um dos grandes nomes do esporte brasileiro, mas, aos 32 anos, o nadador está sem clube desde janeiro e tem bancado os próprios treinamentos com o dinheiro obtido em competições internacionais de menor porte. Hoje (11), ele desabafou.

"Por enquanto estou investindo em mim mesmo, não tenho ajuda do COB (Comitê Olímpico do Brasil), nem da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos). Essa é a atual situação. Aliás, a CBDA me aposentou, mas eu ainda não. Não tenho apoio financeiro deles, nem de outros", lamentou ao jornal "O Globo".

O nadador conversa com a Prefeitura de São Paulo para levar o projeto "Novos Cielos" de volta às piscinas. Mas busca também, é claro, o apoio de entidades que o permitam treinar com mais facilidade. Ele disse ter sido procurado por clubes brasileiros, mas estes ofereceram somente a estrutura de treinamento, sem contrato.

"Nunca nadei por dinheiro. Parte dos cachês que ganho nas competições, em que sou convidado, é que me ajuda atualmente a bancar meu treinador. É um gasto alto, mas prefiro não falar em valores", completou.

O fato de não ter sido chamado para a clínica no Parque Aquático Maria Lenk o incomodou; os nadadores convocados foram Pedro Spajari, Gabriel Santos, Marcelo Chierighini, Marco Antonio Ferreira Júnior, Bruno Fratus, Breno Correia, João de Lucca e André Calvelo. "Pelos critérios da CBDA [os oito mais rápidos de 2018], eu estaria entre os oito. Mas nem fui convocado", explicou Cielo.

Esporte