PUBLICIDADE
Topo

Esporte

"A Olimpíada do Rio se tornou um terror para mim", relembra Ingrid Oliveira

Marcus Steinmeyer/UOL
Imagem: Marcus Steinmeyer/UOL

Do UOL, em São Paulo

08/03/2019 11h09

A saltadora Ingrid Oliveira relembrou hoje (8) no programa "Encontro", da "Globo", o drama que viveu durante os Jogos Olímpicos do Rio. Na ocasião, ela levou para seu quarto Pepê, atleta brasileiro de canoagem. Quando a história veio a público, Ingrid passou a sofrer ataques preconceituosos nas redes sociais. Recentemente, a saltadora relembrou ao UOL do drama passado nos Jogos Olímpicos.

"Depois disso, os Jogos Olímpicos eram tipo um terror para mim. (...) Eu meio que me isolava com medo do que as pessoas iriam pensar de mim: 'está todo me julgando'. Até com meus amigos eu tinha medo de falar, medo de me julgarem", relembrou.

Durante seu depoimento, Ingrid comparou os ataques sofridos com ela com os de Pepê. Enquanto ela convivia com ataques machistas, o máximo que o atleta da canoagem sofreu foi com acusações de perda de foco, segundo ela.

"Ele não sofreu tão duramente quanto eu. O máximo que eu via era gente falando 'sem foco' para ele, enquanto eu sofria nos directs (do Instagram), perguntando se eu fazia programa, essas coisas. Não xingavam ele da mesma forma que eu, e isso me deixava muito triste, parecia que eu era a única errada na situação", continuou.

Ingrid foi questionada do motivo de não querer se manifestar sobre o caso durante os Jogos Olímpicos. Segundo ela, o medo de ser ainda mais julgada fez com que ela preferisse o silêncio.

"Eu tinha medo de as pessoas me atacarem mais e falarem que eu estava mentindo para desfocar da realidade. Foi totalmente inventada aquela história. Aí eu tinha medo de as pessoas acharem que eu era mentirosa e quisesse só livrar minha barra. Eu achei que com um tempo seria esquecido, mas não foi".

Esporte