PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Após calote em dívida, medalhista olímpico vê mansão ir a segundo leilão

Ao lado de Robert Scheidt, Bruno Prada (à dir.) comemora a medalha de bronze conquistada nos Jogos Olímpicos de Londres -
Ao lado de Robert Scheidt, Bruno Prada (à dir.) comemora a medalha de bronze conquistada nos Jogos Olímpicos de Londres

Do UOL, em São Paulo

27/08/2018 20h25

Uma mansão do velejador brasileiro Bruno Prada está sendo leiloada pela segunda vez a partir desta segunda-feira (27), no valor de R$ 1,7 milhão, por decisão da Justiça. Devido a um processo movido por um ex-sócio, o medalhista olímpico foi condenado a quitar dívida de R$ 11 milhões, e o imóvel localizado em Ilhabela-SP é alvo de penhora.

A mansão fica em Ilhabela, no litoral paulista, tendo vista para o mar da praia Engenho D’Água. A propriedade tem 1.375 m², com quatro suítes; inclui piscina e churrasqueira na área externa, além de um jardim e seis vagas na garagem. O imóvel vai novamente a leilão porque, na primeira tentativa, o imóvel não recebeu lances quando avaliado em cerca de R$ 2,6 milhões. Como de praxe neste tipo de caso, novo leilão acontece com valor mínimo com 35% menor.

A parte interessada na venda é Luiz Antonio de Carvalho, empresário com quem Bruno Prada fez negócios em uma empresa de seguros, no início dos Anos 2000. O velejador contraiu uma dívida de R$ 1 milhão (nos valores da época), mas não pagou; Carvalho entrou com uma ação, venceu, e o processo de penhora corre na 39ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).

A decisão pela penhora da mansão tem objetivo de sanar parte da dívida, mas ainda fica longe de cobrir o valor. Por este motivo a Justiça ainda mira outros bens de Bruno Prada, incluindo até um título do Clube Athletico Paulistano — tradicional clube da cidade de São Paulo —, que foi avaliado em R$ 180 mil em um edital do processo.

O segundo leilão da mansão em Ilhabela se encerra às 16 horas (de Brasília) desta quinta-feira (30). Até a publicação deste texto, nenhum comprador havia tentado a compra.

O velejador Bruno Prada foi parceiro de Robert Scheidt durante dez anos e conquistou duas medalhas olímpicas na classe star, em Pequim-2008 e Londres-2012. Ele também subiu em sete pódios no Campeonato Mundial, incluindo quatro títulos da classe star entre 2007 e 2016.

Esporte