PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Polícia confunde ex-top mundial com ladrão em NY; caso 'explode' nos EUA

Maddie Meyer/Getty Images/AFP
Imagem: Maddie Meyer/Getty Images/AFP

09/09/2015 18h53

O ex-tenista James Blake passou por uma situação assustadora nesta quarta-feira (9), em Nova York. Ex-número 5 do ranking mundial, ele foi parado pela polícia, por engano, na saída do hotel Grand Hyatt, onde está hospedado em Nova York para acompanhar o US Open.

O caso ganhou toda a mídia mundial e virou um dos assuntos mais comentados nas mídias sociais nos Estados Unidos, país que recentemente viveu atos conturbados por conta de ações racistas de policiais contra negros, algumas delas terminando em morte (do negro).

Blake, que tem formação superior, foi um dos poucos negros a virar top 10 do ranking mundial (foi o número 5 em 2007). Ele se aposentou em 2013 e acumulou apenas em premiação quase US$ 8 milhões.

A polícia confundiu o ex-tenista com um suspeito de um roubo. No entanto, antes da história ser esclarecida, James Blake foi imobilizado pelos policiais, que o colocaram do chão, de mãos para trás. A abordagem rendeu ferimentos a Blake nas mãos e na perna.

O ex-atleta de 35 anos foi rendido por policiais e ficou imobilizado por 15 minutos até que as autoridades percebessem que eles estavam com a pessoa errada. Segundo informou a imprensa americana, James Blake foi confundido com um suspeito de roubo de celular.

“Foi tudo louco e assustador”, disse o ex-tenista ao jornal New York Daily News. James Blake contou que o policial que o abordou gritou dizendo para que ele não falasse nada. “Eu respondi para ele que faria o que ele quisesse, que iria cooperar e perguntei do que se tratava. Ele respondeu que eu estava seguro, mas não me senti muito seguro”, relembrou o ex-atleta que ainda explicou que o policial que o imobilizou não pediu desculpas.

O jornal americano ainda questionou se o excesso de força policial teria sido motivado por racismo. “Eu não sei se foi só isso. Para mim isso foi simplesmente um caso de uso desnecessário da força policial. Para mim, provavelmente há um fator racial envolvido, mas não importa a razão. Isso não é para ser feito com ninguém”. Comentou James Blake dizendo que os policiais poderiam ter chegado e conversado com ele, uma vez que não havia corrido.

“Talvez eu seja muito ingênuo, mas eu imaginei na hora que poderia ser alguém que tivesse estudado comigo ou alguém se aproximando para me dar um grande abraço, por isso eu sorri para o cara”, disse Blake após o incidente.

“Eu tenho os recursos para ir até o fim com isso. Eu tenho voz. Mas e quem não tem nada disso”, criticou o ex-tenista sobre o caso ter sido amplamente divulgado.

James Blake ainda pediu que a polícia de Nova York se desculpe pelo caso para que não aconteça mais com ninguém. 

O caso de Blake virou trand topics nos Estados Unidos. Grandes meios de comunicação publicaram a informação.

Esporte